Parque Aquático Julio de Lamare e Maracanãzinho serão reformados para Olimpíada


Desativado em 2013 e quase demolido, o Parque Aquático Julio de Lamare, no Complexo do Maracanã, zona norte do Rio de Janeiro, será reformado para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.  O Comitê Rio 2016 assumirá a renovação do parque e do estádio anexo Maracanãzinho. As obras, orçadas em cerca de R$ 40 milhões, faziam parte da contrapartida da Concessionária Maracanã.

Segundo o comitê, as obras começam em fevereiro e terminam em junho. O Julio de Lamare servirá de aclimatação para as delegações, e o Maracanãzinho será a sede do vôlei nas Olimpíadas. Os recursos para as obras virão dos R$ 330 milhões que o comitê captou por meio da lei de incentivo fiscal.

O parque seria demolido juntamente com o Centro de Atletismo Célio de Barros, a  Escola Municipal Arthur Friedenreich e o antigo Museu do Índio, no entorno do Complexo Maracanã. No lugar das instalações seriam construídos estacionamentos. Na época, houve manifestações populares contra as demolições. O Célio de Barros acabou demolido e hoje o local é estacionamento do Maracanã.

Também houve protestos contra o fechamento do Julio Delamare, que prejudicou milhares de moradores do entorno da região, atletas e alunos de projetos sociais que usavam as piscinas do local.

O Consórcio Maracanã venceu a licitação em 2013 para administrar o complexo por 35 anos. A empresa ofereceu R$ 181,5 milhões pela gestão do conjunto, a serem pagos em 33 parcelas. O valor foi R$ 26,4 milhões maior que o oferecido pelo concorrente. A intensa mobilização socialfez o governo desistir da demolição do parque, da escola e do antigo museu. A demolição e construção do estacionamento seriam pagos pelo consórcio e abatidos da contrapartida. Desde então, o consórcio vem negociando com o estado a readequação do contrato de licitação.

Na segunda-feira (4), o consórcio, cujo principal sócio é a Odebrecht, demitiu 75% de seus funcionários. A justificativa foi a cessão do Maracanã para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos deste ano. O grupo informou que vem realizando esforços contínuos para reduzir os custos fixos, minimizar os prejuízos operacionais e se adequar aos impactos da alteração unilateral do contrato de concessão e aos períodos de interrupção da operação, como na Copa do Mundo (2014) e Olimpíadas (2016).

Inaugurado em 1978, o Parque Aquático Julio de Lamare sediou grandes eventos esportivos de natação, pólo aquático, nado sincronizado e saltos ornamentais. Com área de 18.515 metros quadrados é um dos maiores no gênero da América Latina. O parque possui piscina olímpica, piscina coberta para aquecimento e tanque para saltos.

 

Seja o primeiro a comentar on "Parque Aquático Julio de Lamare e Maracanãzinho serão reformados para Olimpíada"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*