Paraná registra média de sete acidentes com ciclistas por dia


Todos os dias, acontecem pelo menos sete acidentes envolvendo ciclistas no Paraná. A estimativa é do Departamento de Trânsito do Estado (Detran), que considera os números registrados pelas polícias rodoviárias Federal e Estadual, Polícia Militar e prefeituras, no período de 2009 a 2014.

De acordo com o Detran, são cerca de 74 ciclistas mortos por ano e, em média, 2.119 feridos anualmente no Estado. Por isso, eles são tema da campanha “31 Dias para mudar o trânsito”, que integra as ações do Governo do Paraná para o Maio Amarelo.

A partir desta quinta-feira (5), o site www.detran.gov.br/maioamarelo exibe um depoimento inspirado em fatos reais sobre os perigos de andar de bicicleta à noite, sem o uso de equipamentos de segurança como farol, lanterna e faixas refletivas.

EXPERIÊNCIA – O Departamento procurou quem já pedala à noite para dividir experiências e orientações com os demais ciclistas, como é o caso da administradora Maria de Lourdes Molina, de 56 anos, que há quatro anos usa a bike no período noturno. Para se sentir mais tranquila, ela conta que dá preferência por andar em grupo e não dispensa os equipamentos luminosos.

“Andamos juntos, pelo menos em quatro pessoas, temos uma rota pré-determinada e, quando não há ciclovia, optamos pelo trajeto com menor trânsito, nunca andando na contramão”, conta ela.

“Fazendo o trajeto em grupo a gente fica mais visível para os motoristas. Mas em grupo, ou sozinho, sempre respeitamos o sentido da via e usamos equipamentos de segurança”, completa Roberto Paula Moreira, de 54 anos. Ele lembra ainda que o motorista deve sempre respeitar o ciclista e manter 1,5 metros de distância de quem pedala.

Segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), todo ciclista deve usar campainha, sinalização noturna dianteira, traseira, lateral e nos pedais, e espelho retrovisor do lado esquerdo. Outros elementos complementares também ajudam a aumentar a segurança no período noturno.

ROUPAS – Procure sempre usar roupas claras e chamativas e, se possível, com faixas refletivas. Elas fazem com que o ciclista seja visto em lugares mais escuros e mesmo a distância.

CAPACETE E LUVAS – Usar capacete com fitas refletivas ajuda na sinalização. As luvas também são importantes para proteger as mãos em caso de quedas.

ILUMINAÇÃO – Nem sempre a iluminação do trecho é suficiente. Por isso, é importante investir em sistemas de iluminação com LED, faróis e lanternas.

APITO – O uso de um apito ajuda chamar a atenção em situações emergência e insegurança e pode ser utilizado além da campainha obrigatória.

Seja o primeiro a comentar on "Paraná registra média de sete acidentes com ciclistas por dia"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*