Roraima: Novo comando assume com missão de implantar polícia comunitária

O 21º comandante da PMRR (Polícia Militar de Roraima), coronel Dagoberto Gonçalves, de 47 anos, assume o posto com o compromisso de implantar a Companhia de Policiamento Comunitário e reativar as Bases Comunitárias de Segurança, além de dar mais ostensividade e reforçar o contingente de policiais nas ruas da Capital e Interior do Estado. O novo plano de trabalho da instituição será apresentado à imprensa nesta segunda-feira, às 10h, no Quartel do Comando Geral.

“Queremos usar a Companhia de Policiamento Comunitário, instituída por lei no ano passado, porém não implantada, como ponta da lança para trabalhar a polícia comunitária, ativando os seis conselhos de segurança dos bairros, para atuar em parceria com a população”, disse, ao defender que essa modalidade é uma solução de segurança pública para o Brasil.

Conforme ele, esse modelo tem dado certo em Santa Catarina, Goiás e São Paulo. “O modelo apresenta um policial sargento ou oficial responsável por determinado setor, que vai discutir com a comunidade, identificando os problemas sociais”, disse, ao esclarecer que o policiamento comunitário muda o fluxo de atuação da PMRR, onde as decisões não serão necessariamente adotadas pelo Comando. “O policial responsável pelo setor terá liberdade para atuar junto à comunidade”, enfatizou.

“Vamos dar maior ostensividade, fortalecendo a atividade fim da PMRR, para dissuadir a ação criminosa e a violência, envolvendo todas unidades operacionais da corporação”, disse o coronel Gonçalves, ao adiantar que tem como meta também a aproximação e atendimento prioritário ao sistema escolar, além da reestruturação e qualificação do serviço de inteligência policial.

Segundo ele, o novo comando vai dar estrita observação aos direitos humanos e respeito ao cidadão, considerando as questões de gênero, étnicas, raciais, de orientação sexual e de diversidade cultural. “Vamos também adotar ações preventivas eficazes para redução da criminalidade”, adiantou.

Outra meta do plano de trabalho do coronel Gonçalves é garantir a proteção à criança e ao adolescente, ao ambiente escolar e à mulher, que segundo ele, são modalidades de crimes que mais crescem em Roraima.

No âmbito da valorização profissional e institucional, coronel Gonçalves disse que a gestão vai buscar a criação da Ouvidoria Policial, de forma independente, além de reestruturar a Corregedoria Geral e a redefinição do papel institucional da PMRR. “Vamos valorizar a imagem da Corporação e do policial militar, com assistência à saúde, previdência social e fortalecimento das associações e legislação”, enfatizou o comandante.

CURRÍCULO – Natural de Cachoeira do Sul (RS), coronel Gonçalves tem 26 anos de carreira na PMRR e é o coronel  mais antigo da Corporação. Assumiu diversos cargos na corporação e será, pela segunda vez, comandante geral da corporação que possui quase dois mil policiais militares, entre praças e oficiais.

Ao longo dos 26 anos de carreira na PMRR, assumiu os seguintes cargos: foi duas vezes secretário- chefe da Casa Militar do Governo do Estado; Comandante do Policiamento da Capital; Comandante do Policiamento do Interior; Assessor Militar do Poder Judiciário e até então desempenhava a função de Assessor Militar do Poder  Judiciário.

Bacharel em Administração de Empresas, pela Faculdade Estácio/Atual, hoje é graduando em Economia e Direito. Ao longo da carreira militar concluiu especializações em Polícia Ostensiva; Segurança de Dignitários; é especialista em armas, após curso realizado em  Washington, nos Estados Unidos da América (EUA); tem curso anti-bombas; Aperfeiçoamento de Oficiais; curso de tiro em defesa da vida; Curso Superior de Polícia e Curso Multiplicador de Policia Comunitária.


Seja o primeiro a comentar on "Roraima: Novo comando assume com missão de implantar polícia comunitária"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*