Sergipe: Jackson Barreto recepciona chama olímpica em Canindé do São Francisco

No município, a tocha olímpica foi levada de barco pela estudante Glícia Vasconcelos até os cânions de Xingó, onde foi acesa


Após circular pela Bahia, a tocha olímpica chegou a Sergipe na manhã deste sábado, 28, e foi recepcionada pelo governador Jackson Barreto em Canindé do São Francisco. No município, ela foi levada de barco pela estudante Glícia Vasconcelos até os cânions de Xingó, onde foi acesa. Para complementar o início da estadia em Sergipe, o símbolo dos Jogos Olímpicos se deslocou para sede municipal, onde ocorreu o revezamento. Além de Canindé, os municípios sergipanos de Poço Redondo, Nossa Senhora da Glória, Dores, Aracaju e Propriá também foram contemplados com o cronograma de passagem da chama, que permanece em Sergipe até domingo, 29.

Para o governador Jackson Barreto, a circulação da tocha olímpica não só por Sergipe, como pelos demais estados brasileiros, é um processo de fortalecimento do país. “É algo muito importante e bonito. Os Jogos Olímpicos são a grande alma da integração internacional, é um momento de muita paz, reflexão, de promover nosso país para integração das raças e mostrar a beleza do Brasil. E nesse momento em que o país está tão dividido, nada é tão importante quanto as Olimpíadas para unir o povo brasileiro”.

Jackson ainda declarou que fez questão de recepcionar a chama olímpica em Canindé, que abriga os cânions e é uma referência turística para as demais localidades. “Estamos aqui, pois a tocha pisou em nosso solo através desse município. E a chama olímpica chegar por meio de Canindé, é a oportunidade de transmitir ao mundo a beleza do cânion do São Francisco e fortalecer a história de nossa gente, afinal não se faz um estado sem pensar no Sertão de pessoas bravas”.

Escolhida para ser a primeira pessoa a carregar a tocha olímpica em Sergipe, a estudante e modelo Glícia Vasconcelos afirmou que, além de ser um momento importante, foi uma honra representar a primeira cidade do estado a receber a chama dos Jogos Olímpicos. “A sensação de participar é incrível. É muito bom representar minha cidade, as belezas da minha terra, e é um momento que marca para vida toda”, resumiu.

A estudante Adriene Santos, 16, teve a oportunidade de, junto com alunos de escolas da região, acompanhar de perto a chegada da tocha aos cânions. Ela estava em um catamarã e alegou ser um privilégio poder ter acesso à chama olímpica. Para a discente, foi emocionante e a vinda do símbolo olímpico trouxe a energia de todos os países por onde já passou.

Acompanhando também a solenidade de chegada da tocha olímpica, o prefeito de Canindé, Heleno Silva, declarou que essa foi a oportunidade de, mais uma vez, expor as belezas naturais do município para o mundo e fortalecer o turismo. “Essa é a cidade turística mais visitada do estado. Agradeço ao governador e ao secretário de Turismo, que vieram recepcionar a tocha olímpica, e estamos muito felizes, pois é um momento muito especial. A Olimpíada é o maior evento do mundo e Sergipe hoje vive esse espírito olímpico”.

O secretário de Estado do Esporte, Adilson Júnior, comentou que, a partir da passagem da chama olímpica, Sergipe entra oficialmente no clima dos Jogos. Ele ainda falou as Olimpíadas trarão para Sergipe as seleções sete países, que virão participar do período de aclimatação. Para isso, a Arena Batistão foi disponibilizada para a equipe masculina de futebol do Japão. Já as seleções de ginástica artística (masculina e feminina), rítmica (feminina) e trampolim (masculina e feminina) treinarão no Constâncio Vieira e no Centro de Excelência.

Além do Japão, Aracaju recepcionará as delegações olímpicas de natação de Belarus, Casaquistão, Polônia, Croácia, Ucrânia e República Tcheca. A Seleção Brasileira de Ginástica Rítmica também usará o Centro de Excelência da capital sergipana em sua preparação para os Jogos Rio 2016.

Preparação

Para passagem da tocha olímpica em Sergipe, cerca de 600 profissionais da segurança e saúde foram mobilizados para garantir tranquilidade na realização do evento em seis municípios. De acordo com a secretária de Estado da Saúde, Conceição Mendonça, foram quase três meses de planejamento estratégico para construir um plano integrado coletivo.

“Hoje estamos aqui com ações de vigilância, assistência, e em todos os locais onde a chama olímpica vai passar temos unidades de saúde funcionando, aqui em Canindé a Secretaria de Estado da Saúde trouxe novos equipamentos, temos ambulâncias de suporte avançado e básico em todo percurso, há também a presença de fiscais da Vigilância Sanitária, fazendo a inspeção dos ambulantes que estão comercializando alimentos, para evitar doenças, além da presença do médico Almir Santana, que está fazendo exames de HIV e Sífilis. É muito importante tudo isso, o Governo do Estado sempre presente nessas ações para fortalecer nossa cultura”, afirmou Conceição.

O evento de recepção da tocha olímpica é monitorado em tempo real por Centros de Comando e Controle em nível nacional e regional, todo o planejamento estratégico para o evento foi traçado pela Secretaria Extraordinária para Grandes Eventos do Ministério da Justiça. Para a passagem do símbolo olímpico, foram mobilizados agentes dos Comandos de Policiamento Militar da Capital e Interior, Grupo Especial de Repressão e Busca da Polícia Civil, Forças Armadas, Bombeiros, Marinha, Polícias Federal e Rodoviária Federal, Grupamento Tático Aéreo, Guarda Municipal e Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) de Aracaju, Samu, Agência Brasileira de Inteligência e das prefeituras que recebem o revezamento da tocha olímpica.

Seja o primeiro a comentar on "Sergipe: Jackson Barreto recepciona chama olímpica em Canindé do São Francisco"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*