Recife usou criatividade e economia para manter festejos de São João este ano


Recife (PE) – A organização das festas de São João no Recife, que ocorre entre os dias 16 e junho e 2 de julho, precisou de criatividade e do fechamento de polos festivos para driblar a redução de orçamento deste ano. A prefeitura informou, nesta terça-feira (14), que R$ 4 milhões foram destinados ao evento, com uma redução de 60% em relação aos recursos liberados no ano passado (R$ 10 milhões).

Dos R$ 4 milhões, apenas R$ 500 mil são recursos públicos. Tradicionalmente a prefeitura entrava com um valor maior que os patrocinadores. No ano passado, foram R$ 2 milhões privados e R$ 8 milhões em recursos públicos.

Segundo o presidente da Fundação de Cultura do Recife, Diego Rocha, a prefeitura adotou uma série de estratégias para manter as festas de São João na cidade, a começar pela redução de pontos onde são realizados eventos. Neste ano, serão 41 arraiais, contra os 64 promovidos em 2015. Dos três principais polos do São João, um ficou de fora: o da Praça do Arsenal, no Recife Antigo.

Com um período de comemorações menor que o do ano passado, foram mantidos o arraial do Sítio Trindade, em Casa Amarela, com programação entre os dias 17 e 26 deste mês, e o Pátio São Pedro, no bairro de São José, do dia 27 ao dia 30. No dia 30, inclusive, São José cede p lugar ao orixá Xangô na Festa do Fogo, realizada no pátio.

Músicos da Paraíba

O número de artistas contratados também se reduziu. Em 2015, foram 300 pessoas e, neste ano, segundo Diego Rocha, o número de artistas vai ficar entre 100 e 200, contando com músicos de arraiais de comunidades de menor proporção. “Mas não reduzimos cachê de artista nenhum. Também não demos aumento para ninguém. Vão ser os mesmos valores do ano passado”, afirmou Rocha.

A maior parte dos músicos é de Pernambuco e mora no estado. A exceção são alguns nomes da Paraíba – cuja festa de São João no município Campina Grande é considerada a maior do mundo.

De acordo com Diego Rocha, medidas administrativas também foram tomadas para reduzir os gastos com as festas juninas. “Fizemos licitação de forma antecipada. Então, em toda a estrutura de palco, de som, de arquibancada, em tudo, tivemos redução em relação ao ano atenrior.” Até a decoração do Sâo João foi requentada para que a festa não acabasse, disse ele. “A gente repetiu o projeto, então não teve custo com o projeto.”

Questionado sobre a garantia de que esse orçamento estaria disponível para o pagamento do pessoal e da estrutura depois dos festejos, o gestor indicou que essa seria um dos objetivos da redução de custos. “O carnaval já está quitado em relação aos artistas, e o grosso dos fornecedores também. Esperamos fazer o mesmo no São João.”

Programação

Este ano o São João do Recife homenageia dois artistas: Santanna, O Cantador, que tocou com Luiz Gonzaga e ainda hoje segue carreira no forró; e Dona Glorinha do Coco, uma mestra de coco de roda de 81 anos, cujo nome de batismo é Maria da Glória Braz de Almeida.

Os festejos serão abertos na noite de quinta-feira (16), com a 12ª Caminhada do Forró, que sai da Rua da Moeda em direção à Praça do Arsenal, no Recife Antigo. No trajeto, cerca de 100 músicos apresentam-se simultaneamente.

Nos dias seguintes, o Sítio Trindade reunirá a maior parte das atrações, com espaço para quadrilha e forró pé-de-serra. Haverá mais 13 arraiais em diversos bairros da capital pernambucana. E estão asseguradas a estrutura e atrações em apoio a outras festas juninas realizadas tradicionalmente por comunidades. A programação inclui ainda competição de quadrilhas, procissão de santos juninos, teatro e concurso de decoração de ruas do Recife.

A programação completa pode ser consultada aqui.

Seja o primeiro a comentar on "Recife usou criatividade e economia para manter festejos de São João este ano"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*