RJ: Lixo Zero atuará nos equipamentos olímpicos durante os Jogos Rio 2016

Programa da Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude vai beneficiar entidades de 120 cidades (Foto: Alexandre Moreira)


Rio de Janeiro (RJ) – O Programa Lixo Zero, da Comlurb, que multa quem joga lixo em vias públicas da cidade desde agosto de 2013, atuará no entorno dos equipamentos olímpicos durante os Jogos Rio 2016. A atuação da Companhia também se configurará na limpeza das áreas comuns do Parque Olímpico, na Barra da Tijuca.

Equipes do Lixo Zero estarão no Estádio Olímpico João Havelange – o Engenhão – , no Complexo de Deodoro, no Parque Olímpico e no Maracanã. O acesso aos shoppings, áreas comerciais, polos gastronômicos e os pontos turísticos também serão alvo da operação do programa.

Prestes a completar três anos de funcionamento, o Lixo Zero aplicou 165.409 multas, a maioria por descarte irregular de pequenos resíduos. Destas 67.515 foram pagas; 1.299 estão em recurso e 92.307 não foram pagas. Ao todo, 13.022 turistas entre brasileiros e estrangeiros foram multados. O programa atua em 138 bairros da cidade, sendo 23 permanentemente (os demais são atendidos com blitzes frequentes). Um efetivo de 235 duplas formadas por fiscais da Comlurb e da Guarda Municipal atuam nas ruas da cidade para orientar e multar quem for flagrado jogando lixo nas ruas.

O Centro do Rio é o bairro com mais multas aplicadas, totalizando 69.622, seguido de Copacabana (20.018), Ipanema (12.965), Leblon (10.062), Campo Grande (8.093), Madureira (6.389), Tijuca (3.919) e Méier (3.416). O sucesso do trabalho fez com que muitas cidades do Brasil e do exterior procurassem a Comlurb para consultas sobre o programa, como Belo Horizonte, São Paulo, Porto Alegre, Salvador, Bogotá (Colômbia) e Montevidéu (Uruguai).

Os valores das multas aplicadas pelo Programa Lixo Zero podem variar de R$ 115 a R$ 3.693 dependendo da infração. O descarte irregular de lixos menores, até o tamanho de uma lata de refrigerante, custa R$185, se chegar a até 1 m³, o equivalente a um saco de entulho, R$ 462, e, se for um volume superior a 1 m³, a multa é de R$1.153.

Grande quantidade de entulho descartado e formando depósitos irregulares, a multa chega a R$ 3.693. O programa Lixo Zero busca um maior cuidado do morador em dispor seu lixo para a coleta domiciliar devidamente ensacado, somente nos dias e próximo ao horário da passagem do caminhão coletor.

Também são alvo da fiscalização intensiva os grandes geradores, como bares e restaurantes que, devido ao grande volume de resíduos, precisam contratar empresas para a coleta e nem sempre descartam o lixo de forma correta. As pessoas que descartam irregularmente entulho de obras e os responsáveis pelas caçambas que não cumprem as determinações da Lei de Limpeza Urbana também estão na mira da Comlurb.

O Lixo Zero nas feiras livres vem apresentando bons resultados com os feirantes descartando corretamente seus resíduos e assim contribuindo para maior agilidade na limpeza e desocupação da rua. Desde outubro de 2014, os feirantes passaram a ser orientados e fiscalizados para cumprirem o horário determinado para o encerramento das atividades e ensacar os resíduos, colocando perto da barraca para a Comlurb remover. O descumprimento da lei pode gerar multa de R$170.

Seja o primeiro a comentar on "RJ: Lixo Zero atuará nos equipamentos olímpicos durante os Jogos Rio 2016"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*