Pedidos de divórcios envolvendo grandes fortunas voltam a crescer


 

A crise econômica do Brasil teve impacto direto no número de ações de divórcio envolvendo grandes fortunas. Por conta da instabilidade nas finanças, muitos casais – para não mexer no patrimônio – optaram por manter o relacionamento, deixando a separação para um segundo momento.

“Houve, de fato, um decréscimo no número de ações, de maneira mais evidente a partir da metade de 2015 até o primeiro trimestre deste ano”, aponta Priscila Corrêa da Fonseca, do escritório Priscila M. P. Corrêa da Fonseca. Considerada uma das maiores autoridades brasileiras do tema, a Dra. Priscila diz que esse cenário, porém, está mudando.

Mesmo com o Brasil ainda em dificuldades, já é possível observar um movimento mais ativo em relação a ações de divórcio envolvendo grande volume de patrimônio. “Desde abril, voltou a aumentar a procura pelo escritório para liderar ações do gênero”, revela a especialista em Direito de Família.

De acordo com a advogada, esse tipo de ação é complexo por envolver uma série de entraves. “O maior deles é com certeza a existência de uma empresa dentro desse patrimônio. Pense em um patrimônio de R$ 1 bilhão. Desse valor, R$ 300 milhões se referem a imóveis. Os outros R$ 700 milhões são de uma empresa só. Normalmente, o marido não inclui a mulher na sociedade. Em muitas dos casos a empresa tem de ser vendida”, explica.

Ainda segundo ela, há outras implicações também. “Ordens de bloqueio, vendas de cotas, são alguns dos outros entraves que envolvem ações desse tipo”, diz.

Seja o primeiro a comentar on "Pedidos de divórcios envolvendo grandes fortunas voltam a crescer"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*