Você sabia que cabem sete sambódromos do RJ em um avião?

Cabos são responsáveis por sistemas de locomoção, elétricos e comunicação de meios de transportes

Tudo isso em cabos: a quantidade desse material está presente em aviões, navios, trens e automóveis e pode ultrapassar mais de 2 mil quilômetros

Você sabia que, a construção e o funcionamento de qualquer veículo de transporte requer quantidades enormes de cabos elétricos? Sim, é verdade! Inclusive, uma infinidade de cabos, dos mais diversos tipos, estão presentes no nosso dia a dia e são essenciais para vivermos, trabalharmos e nos comunicarmos.

No caso de veículos de transporte, como automóveis, trens, metrôs, aviões e navios, os cabos são responsáveis, de uma maneira geral, por funções importantíssimas. Por exemplo, cabos específicos garantem a energia necessária para funcionamento e deslocamento desses veículos; outros fazem a ligação  deles com baterias, motores, turbinas ou bombas; também viabilizam a sinalização interna e externa (faróis, placas iluminadas de emergência, paineis eletrônicos, etc) ;a iluminação completa dos veículos ; a comunicação rápida e  essencial na interligação entre centrais e no acesso à internet ; o funcionamento de paineis de controle e comando, a segurança dos passageiros no acionamento de sirenes, na proteção à choques e curto circuito, etc. Uma curiosidade interessante, além da variedade e das funções desses cabos, é a quantidade empregadas em meios de transporte. Até 2 mil quilômetros de cabos podem estar presentes em um só navio, por exemplo.

Segundo a Nexans Brasil, especialista mundial em cabos e sistemas de cabeamento, montadoras utilizam de 3 a 5 quilômetros de cabos para equipar cada automóvel. O item é fundamental para proporcionar o perfeito funcionamento de diversos componentes elétricos do carro como, por exemplo, a bateria. Para se ter uma ideia, a quantidade de material que compõe um modelo comum pode equivaler ao tamanho de sete sambódromos do Rio de Janeiro. Vale ressaltar que a pista da Marquês de Sapucaí tem 700 metros de comprimento.

Já em um avião civil moderno, utilizado para viagens comerciais, a quantidade de cabos presentes equivale a distância entre São Paulo (SP) e Belo Horizonte (MG). Ou seja, 650 quilômetros de cabos, de diversos tamanhos, espessuras e finalidades compondo o meio de transporte que as conecta.

Em grandes navios a quantidade pode unir capital paulista à Recife (PE), em termos de distância, com mais de 3.000 km de cabos. Um exemplo concreto é o projeto em andamento do VLT Carioca, trêm leve que ligará o Centro e a Região Portuária do Rio de Janeiro em 28 Km e 32 paradas. A Nexans produziu todos os 200 mil metros de cabos que alimentam os trens e compõem seus vagões do VLT, aplicando características técnicas específicas nos produtos que garantem a segurança dos passageiros em casos de incêndio.

Por estar presente em tamanha quantidade, a leveza dos cabos também faz toda a diferença no peso final do veículo, tornando-o o mais leve possível, no menor consumo de combustível e na diminuição dos gases emitidos que causam o efeito estufa.

Seja o primeiro a comentar on "Você sabia que cabem sete sambódromos do RJ em um avião?"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*