Detentos do Rio Grande do Norte serão transferidos para presídios federais

Foto: Divulgação

Natal (RN) – A Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejuc) do Rio Grande do Norte confirmou hoje (5) que 21 detentos serão transferidos para presídios federais de outros estados. Por questões de segurança, entretanto, assessoria não informou a data da remoção e nem as unidades prisionais de origem e para onde os presos serão levados.

Esses detentos são apontados como chefes do grupo que está liderando os ataques ocorridos no estado desde a semana passada. No início da semana, cinco detentos do sistema prisional potiguar já haviam sido transferidos para a Penitenciária Federal de Mossoró, no oeste do Rio Grande do Norte.

Os ataques começaram após a instalação de bloqueadores de celular na Penitenciária Estadual de Parnamirim. No total, foram registradas 109 ocorrências, entre incêndios, tentativas de incêndios, disparos contra prédios públicos e proximidades, depredações e uso de artefatos explosivos; 32 veículos, entre ônibus e micro-ônibus, foram incendiados. As ocorrências foram registradas em 38 cidades e o número de pessoas detidas suspeitas de envolvimento chega a 105.

Cerca de 1,2 militares do Exército, da Marinha e da Força Aérea chegaram ao estado na quarta-feira (3) para participar da chamada Operação Potiguar, de apoio às forças policiais do estado. Eles farão o patrulhamento ostensivo em Natal e sua região metropolitana, nos eixos turísticos e bancários, aeroportos e principais rodovias e vias de acesso. Assim, as forças de segurança locais poderão atuar nas comunidades e no interior do estado na investigação e combate direto aos criminosos.

As tropas devem ficar no estado por 15 dias, mas o governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, disse que pedirá a extensão do prazo para que eles permaneçam no estado até que os bloqueadores de sinal de celular sejam instalados em todas as unidades prisionais.

Seja o primeiro a comentar on "Detentos do Rio Grande do Norte serão transferidos para presídios federais"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*