Governo de Sergipe investe mais de R$ 61 milhões em escolas profissionalizantes

Em Umbaúba, escola profissionalizante oferecerá 504 vagas voltadas para a cadeia produtiva têxtil / Fotos: Victor Ribeiro/ASN

Em Umbaúba, escola profissionalizante oferecerá 504 vagas voltadas para a cadeia produtiva têxtil, priorizando o acesso também para os jovens dos municípios das regiões sul e centro-sul

Umbaúba (SE) – É visível o avanço na obra de construção do Colégio Profissionalizante na cidade de Umbaúba, no extremo sul do estado, a 105 km da capital. Essa é uma das unidades voltadas para cursos técnicos que o Governo de Sergipe constrói atualmente. A escola oferecerá 504 vagas voltadas para a cadeia produtiva têxtil, priorizando o acesso também para os jovens dos municípios das regiões sul e centro-sul. Além de Umbaúba, a gestão estadual investe em unidades profissionalizantes em Nossa Senhora das Dores, Nossa Senhora do Socorro e já concluiu as escolas de Itabaiana, Carmópolis, Boquim e Propriá.

“Estamos com aproximadamente 70% da obra realizada, já na fase de acabamentos, cobertura, estrutura metálica, instalação elétrica e pintura. É a parte final e a previsão de conclusão é para novembro deste ano”, informou o engenheiro Paulo Agra, da empresa Camel responsável pelos serviços. O Governo do Estado está investindo R$ 10.106.889,58 por meio da Secretaria de Estado de Infraestrutura e do Desenvolvimento Urbano (Seinfra), com execução da Companhia Estadual de Habitação e Obras Públicas (Cehop).

Mas o investimento maior é no futuro dos jovens sergipanos. É o que acredita o secretário de Estado da Educação, Jorge Carvalho. “O ensino profissionalizante vai formar e inserir os jovens concluintes do ensino médio no mercado de trabalho”, afirma.

A proposta é atender à demanda do mercado por mão de obra especializada. Por esse motivo, cada centro foi planejado levando-se em consideração as vocações econômicas de suas respectivas regiões.

Ter uma profissão é o desejo de qualquer jovem e esta nova oportunidade, bem perto de casa, é a chance que faltava, na opinião da estudante de 24 anos, Reniana Conceição. Ela se mostra esperançosa com a perspectiva de inauguração do Colégio Profissionalizante e acredita que muitos jovens poderão ser beneficiados.

“Fiquei feliz por saber que estão construindo uma escola técnica. Espero que venha trazer melhorias porque os jovens da nossa cidade na atualidade necessitam disso. Eu espero que as gestões públicas tenham esse comprometimento com a nossa cidade, que essa escola venha trazer benefícios para os nossos jovens, principalmente nessa região que precisa muito focalizar nisso. Os jovens daqui da nossa cidade infelizmente estão se perdendo e se tiver esse comprometimento sério por parte de quem administra seria muito bom mesmo. Espero que eu tenha a oportunidade de entrar, terminar meus estudos e me especializar em alguma coisa”, relatou.

Ensino profissionalizante

Estão em construção também outros dois centros de educação profissionalizante nos municípios de Nossa Senhora do Socorro e Nossa Senhora das Dores, além do que já foi concluído e aguarda inauguração no Jardim, também em Socorro, esse voltado para a área da saúde. Todos eles seguem um modelo padrão de escolas de educação profissional elaborado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, do Ministério da Educação (FNDE/MEC). O objetivo da gestão estadual é construir uma escola profissionalizante em cada um dos oito territórios sergipanos.

Atualmente, o estado dispõe de escolas profissionalizantes em Itabaiana (Murilo Braga), Carmópolis ( unidade de Petróleo e Gás governador Marcelo Déda), Neópolis (CEEP Agonalto Pacheco), Aracaju (CEEP José Figueiredo Barreto e Conservatório de Música), Poço Redondo (CEEP Dom José Brandão de Castro), Boquim (CEEP Maria Fontes de Faria – Dona Marieta), Propriá (Colégio Estadual Joana de Freitas Barbosa) e Japoatã (Escola Família Agrícola de Ladeirinhas).

A decisão do Governo de Sergipe de construir centros profissionalizantes acompanha uma realidade que é nacional para a flexibilização do ensino médio. “As discussões a cerca do ensino médio entendem que não só o Enem, os acessos à faculdade devem ser o caminho para o jovem. Ele deve ter uma alternativa, que são os cursos técnicos profissionalizantes. Essa tendência do país está sendo atentamente observada pela Secretaria da Educação”, explica a Departamento de Educação da Seed, Gabriela Zelice.

A moradora de Umbaúba, Maria Cleide Messias, está desempregada e espera mudar esta situação com uma formação profissionalizante. “Quem não quer ter uma profissão, até eu me animaria a voltar a estudar. Espero que a nova escola traga benefícios à população, não só para Umbaúba, mas para toda a região”, torce.

A obra

A obra conta atualmente com 63 funcionários que executam trabalhos em diferentes pontos, como o auditório, que terá capacidade para 200 pessoas, na cobertura da quadra poliesportiva, e nos revestimentos em geral. Segundo o engenheiro da obra Daniel Nou, cerca de 85% da mão-de-obra é composta por trabalhadores da cidade. “Nós demos preferência em contratar pessoal local, somente em áreas especializadas que não encontramos aqui, trouxemos de fora”, contou.

Outra característica da construção é o reaproveitamento da água da chuva. “Toda água que cai na cobertura, nas telhas vão para as calhas e desce para a tubulação que vão para um reservatório. Essa água será utilizada na irrigação para a jardinagem”, informa o engenheiro.

Instalado em uma área de 14.537,93m², na rua 1º de Maio, Centro de Umbaúba, o prédio escolar conta com 5.577,39m² de área construída. A ampla estrutura contará com blocos administrativo e pedagógico, constituídos por dois pavimentos, que contarão com 12 salas de aula, e capacidade para 42 alunos cada; seis laboratórios para as disciplinas de química, biologia, física, matemática, línguas e informática; setor administrativo e dois laboratórios especiais.

“Contará ainda com uma biblioteca com dois pavimentos e estação elevatória, além das escadas, para o uso por pessoas com deficiência. A acessibilidade também foi observada, o centro atende às normas técnicas em todos os ambientes, com piso tátil e rampas de acesso, tanto no entorno quanto em sua parte interna, além de banheiros adaptados”, explica o fiscal da Cehop, Daniel Marques.

O Centro Profissionalizante de Umbaúba vai contar ainda com uma rede de combate a incêndio com hidrantes, sistema de proteção contra descargas atmosféricas e sistema de irrigação para as áreas gramadas. Existe também um anfiteatro e o bloco de serviço, que vai dispor de vivência, cozinha e despensas, além do estacionamento interno para 35 veículos, bicicletário e motário.

Seja o primeiro a comentar on "Governo de Sergipe investe mais de R$ 61 milhões em escolas profissionalizantes"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*