Veterinária dá dicas sobre os cuidados para enfrentar o ar seco

pets

Problemas respiratórios e conjuntivite são os principais problemas que afetam os pets; muitos necessitam até de inalação para amenizar os efeitos da baixa umidade

A baixa umidade do ar também afeta a saúde de cães e gatos. Assim como nós, eles apresentam sintomas como coceiras nos olhos, boca seca, cansaço, dificuldade para respirar e desidratação. Nesta época, há um aumento de incidência de casos de problemas respiratórios e oculares nas clínicas da Petz, para atendimentos ambulatoriais, inalação, oxigenioterapia e até emergências.

“Alguns animais com focinho curto ou achatado, como o shi-tzu, o pug e os bulldogs, que já apresentam dificuldade para respirar, acabam tendo o problema agravado, assim como os filhotes em geral”, afirma a médica veterinária Mariana Paraventi, da Petz.  Para evitar que seu bichinho de estimação tenha qualquer mal por causa do ar seco, a Dr. Mariana orienta a tomar alguns cuidados. Veja a seguir:

Alterações que podem ocorrer:

  • Conjuntivite: com o ar seco os olhos dos animais podem ficar mais vermelhos, com  lacrimejamento e coceira. Isso pode fazer com que eles tentem aliviar a coceira com as patinhas, podendo causar lesões ou até levar bactérias para os olhos, causando a infecção chamada de conjuntivite. Animais de focinho mais curto tem mais incidência de conjuntivite. Para aliviar esses sinais pode ser feita a limpeza dos olhos com solução fisiológica. Mas é importante procurar um médico veterinário para que os sinais não persistam ou piorem.
  • Problemas respiratórios: alguns animais podem ficar ofegantes e sofrer de crise respiratória nos dias secos. O ideal é evitar caminhadas longas e brincadeiras muito ativas nesses dias.
  • Animais de focinho bem curto ou achatados (braquicefálicos) têm dificuldade de respiração e maior predisposição para esses problemas e, assim como filhotes, podem ter aumento de secreção nasal e até contrair gripe.

Recomendações:

– Bichinhos que já sofrem de alguma doença respiratória devem ser levados para o veterinário durante o tempo seco

– Levar sempre recipientes e água para os passeios

– Diminuir quantidade de exercícios, principalmente em dias quentes.

– Hidratação com produtos específicos para pets

– Trocar água várias vezes ao dia

– Deixar toalhas molhadas ou bacias com água próximos aos locais de descanso, para auxiliar na umidificação do ar

– Levar sempre seu pet para um check-up para diagnóstico precoce de alterações respiratórias

– A inalação pode e deve ser feita somente com soro fisiológico para animais com problemas respiratórios durante fases de tempo seco, pois umidifica as vias aéreas e facilita a respiração

– Umidificadores de ar também são recomendados

– Manter a vacinação contra a gripe em dia que, assim como todas as outras; fazer o reforço anual.

– Ficar atento a qualquer sinal de tosse, secreção nasal e ocular e dificuldade respiratória grave.

 


Seja o primeiro a comentar on "Veterinária dá dicas sobre os cuidados para enfrentar o ar seco"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*