Governador fala sobre administração pública e ações do “Pará 2030” para estudantes

O governador Simão Jatene falou aos estudantes da Fibra durante a programação em comemoração ao Dia do Administrador (Foto Thiago Gomes)

Os desafios e competências do administrador público face à atual conjuntura política e econômica do país e as ações do planejamento estratégico para o desenvolvimento econômico e social do Estado, “Pará 2030”, foram apresentados pelo governador Simão Jatene aos estudantes do curso de administração da Faculdade Integrada Brasil Amazônia (Fibra). A palestra ocorreu na noite desta quinta-feira (1º), no auditório da instituição, em Belém, e faz parte da programação em comemoração ao Dia do Administrador, que será celebrado em 9 de setembro.

“O excelentíssimo senhor governador é o administrador maior, um exemplo para cada um de nós. Mesmo com toda essa crise econômica brasileira, estamos vendo um Estado bem administrado, que está conseguindo se manter dentro das possibilidades”, afirmou o diretor geral da Faculdade, Vicente de Paulo Tavares Noronha. “Ele também é professor universitário, conhece os anseios da comunidade acadêmica e falou com muita propriedade sobre a atual conjuntura do Estado e do País”, acrescentou.

Durante a apresentação, o governador Simão Jatene destacou algumas questões importantes para a gestão pública na Amazônia. Entre eles está uma nova visão sobre a região. “Não podemos pensar a Amazônia e o Pará se não levarmos em conta dois importantes desafios: sermos grandes prestadores de serviços ambientais em escala planetária e base material de vida digna para as pessoas que aqui nasceram ou para cá vieram”, disse.

Ainda segundo o governador, o Brasil pode ter maior destaque na agenda global, mas um dos fatores que contribui para que não alcance essa posição é a incapacidade do país mostrar que sabe o que fazer com a Amazônia e na Amazônia. “O futuro do Brasil cada vez mais está ligado à Amazônia. E certamente o futuro da Amazônia nunca esteve tão interligado com os interesses globais, o que torna mais estratégico o papel do Pará”, ressaltou. “Na nossa região nós só temos dois caminhos: produzir preservando ou preservar produzindo. Agora nós temos que nos fazer entender quando falamos o que é preservar produzindo”, explicou Simão Jatene.

Tanto a gestão pública quanto a privada se orientam para os resultados, sendo que na privada eles são sinônimos de lucro e na pública são medidos pelo alcance e melhoria dos indicadores sociais, econômicos, entre outros pontos. Uma gestão responsável é fundamental para o alcance desses resultados, mas para isso é necessária a implementação de estratégias. E o Pará 2030 reúne algumas delas.O plano busca dinamizar a economia e agregar valor à produção, por meio de processos produtivos ancorados em práticas sustentáveis, que gerem emprego e renda para a população paraense.

“O que está por trás do ‘Pará 2030’ é absoluta necessidade de fazer um pacto por esse Estado, formar redes institucionais, juntar governo, empresas, ONGs, representações locais, entre outros, para implementar um programa de desenvolvimento centrado em três vetores: conhecimento, produção e novas formas de governança, naquilo que eu chamo de tripla revolução. E é nisso que estamos trabalhando”, frisou o governador.

Durante a elaboração do plano foram diagnosticadas 23 oportunidades de investimento. Desta análise, foram eleitas 12 cadeias produtivas prioritárias, entre elas estão a agricultura familiar sustentável, grãos, biodiversidade, logística, aquicultura e verticalização do pescado, turismo e gastronomia, produção e verticalização do açaí, cacau, pecuária sustentável, entre outros.

“Não existe crise eterna e quem tiver melhor equipado na retomada do crescimento vai ter maior vantagem nisso. O esforço que estamos tentando fazer no Pará é basicamente esse. Além da gestão do cotidiano, temos que ver como o Estado pode se apresentar como uma alternativa economicamente viável para investimentos, e que nos dê a possibilidade de não apenas ser escolhido, mas de escolher aquilo que nos interessa”, reiterou Simão Jatene. “O Pará quer contribuir para o desenvolvimento do Brasil através do seu próprio desenvolvimento”, acrescentou o gestor estadual.

O coordenador do curso de administração, Wilson Ricardo Cardoso Silva, avaliou positivamente a palestra. Segundo ele, atividades com esta elucidam os desafios da profissão e contribuem para a formação de gestores mais conscientes de suas responsabilidades. “O governador é um grande gestor público e um exemplo para os nossos alunos. É muito importante que eles tenham esse exemplo de organização para o futuro. Todo administrador já começa no seu primeiro dia de aula aprendendo o que é planejamento, e planejar é prever o futuro”, avaliou.

O “Pará 2030” se desdobra em 70 iniciativas, 280 ações e 1.400 marcos de implementação. As metas e prazos devem ser executados até 31 de dezembro de 2018 e as ações contemplam todas as regiões paraenses.Todas as informações e ações previstas no plano estratégico estão disponíveis no site www.para2030.com.br.

Seja o primeiro a comentar on "Governador fala sobre administração pública e ações do “Pará 2030” para estudantes"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*