Cultura: elemento de transformação da vida dos idosos em Manaus

Foto: Divulgação

Manaus (AM) – O olhar, o encantamento, a vaidade, o interesse em fazer parte, a motivação, a saúde, a alegria de viver, a interação, o convívio… são inúmeras as transformações verificadas numa parcela da população que vem crescendo e ganhando mais espaço a cada dia em Manaus: os idosos.

 Tais características são desenvolvidas, comprovadamente, por aqueles que dedicam seu tempo em frequentar atividades culturais e desportivas, oferecidas pelo Governo do Amazonas, via Secretaria de Cultura, nos Centro de Convivência.

 Os benefícios que a música, a dança, as artes plásticas e o teatro proporcionam aos idosos são inúmeros. A coordenação motora, a rapidez de raciocínio, a memória, o reflexo, a auto-estima, a socialização, tudo melhora quando um idoso começa a participar de uma atividade cultural. Exemplo disso, é o trabalho desenvolvido pelo maestro Paulo Afonso de Oliveira (53), que há 19 anos trabalha como regente do Coral de Idosos.

  “O canto coral é uma terapia. Temos exemplos de pessoas que tiveram forte depressão, e que, quando ingressaram no coral, tiveram suas vidas transformadas. Fui um dos pioneiros, junto com a professora Rosa Eunice, a trabalhar com arte voltada para os idosos no Amazonas. Ao longo dos anos, já dei aula para aproximadamente 700 idosos. Afirmo que a música fortalece o intelecto do idoso. Ele dá conta. Fica mais esperto, pois a leitura de partitura requer exercício mental, coordenação e perspicácia”, declarou o maestro Paulo Afonso.

A quantidade de pessoas acima de 60 anos, em Manaus, tem crescido nas últimas quatro décadas, de acordo com uma série histórica do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que mostra uma evolução crescente do número de idosos na cidade. O quantitativo de habitantes acima de 60 anos aumentou 928,9%. O percentual de idosos na população geral quase que duplicou no período de 1970 a 2010. O índice que era de 3,40% evoluiu para 6,04%.

O professor de dança, Reginaldo Estrela (43), fala da satisfação em trabalhar com o público idoso. “Eu mais aprendo do que ensino. Aprendo muito sobre respeito e de como ser flexível. Há cinco anos eu estou com eles e faço questão de não faltar, pois eles são compromissados. Tem que venha de ônibus do quilômetro 21 (ramal do Pau Rosa), outros de Iranduba. Não importa a distância, estão aqui, um local de relaxamento, encontro e bem-estar”.

A dona Cecília Pinheiro, (85), moradora do bairro de São Geraldo, começou a frequentar aulas de canto coral no Liceu de artes e Ofícios Claudio Santoro, antes da inauguração do CECI e é um exemplo de como a atividade cultural é benéfica à saúde. ”A música só me fez e faz bem. Todos, por onde passo, se admiram da idade que tenho, com a minha lucidez e disposição. Faço contas de cabeça, não tenho doença alguma. Tomo meu vinho tinto antes do almoço e executo todas as atividades normais dentro de casa e vivo bem a vida. Ainda tomo uma cervejinha e não me sinto com a idade que tenho. Sou feliz e posso afirmar que sem a música não sou nada”, salientou.

Cultura e arte nos Centros de Convivência

Projeto do Governo do Amazonas, por intermédio da Secretaria de Cultura, o Liceu leva a cultura por meio de suas mais diferentes manifestações aos idosos de Manaus e do município de Parintins.  Cursos gratuitos de dança, canto, teatro, artes plásticas são oferecidos dentro dos centros de convivência, oportunizando uma nova experiência a este segmento de público que passa a viver, muitas vezes, em casa, com a chegada da aposentadoria, sem perspectivas e, com isso, também passa a adquirir doenças físicas, emocionais, como a depressão e a se envolver com vícios como alcoolismo.

 Em Manaus, os centros de convivência são locais que oferecem à comunidade geral e, em especial, aos idosos, opções gratuitas de atividades culturais e desportivas.

 O Centros de Convivência da Família Magdalena Arce Daou, no bairro de Santo Antônio, Padre Pedro Vignola, na Cidade Nova e do Idoso, no bairro de Aparecida, dedicam-se a proporcionar à turma da “melhoridade” atividades culturais regulares e gratuitas com profissionais do Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro, com possibilidade de realizarem apresentações ao público em geral, o que motiva os grupos e os incentiva a dar sempre o melhor de si.

Só o Centro de Convivência do Idoso de Aparecida, tem oito anos dedicados especialmente à comunidade idosa de Manaus, atendendo a aproximadamente 1000 membros, com aulas de canto-coral, dança, teatro, pintura, em um ambiente amplo que oferece lazer, comodidade e conforto, com suporte de profissionais da Secretaria de Esporte, Juventude e Lazer (Sejel), Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam), Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas) e Universidade Aberta da Terceira Idade (Unati), à comunidade de idosos de Manaus.

Já no Centro de Convivência Padre Pedro Vignola, 163 idosos participam de atividades como dança, teatro, coral, violão, teclado e desenho artístico e o Magdalena Arce Daou, reúne em torno das atividades culturais, 55 idosos.

 Em Parintins, o Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro também tem dado muitos frutos positivos no grupo da “melhoridade” que tem 77 idosos distribuídos em três turnos do Curso de Dança de Salão. O curso funciona desde 2013 e tem conseguido cada vez mais adeptos, que se apresentam em espetáculos promovidos pelo Liceu em projetos como “Arte por toda a parte”, que percorre Parintins.

 Para Astride do Nascimento (55), que frequenta o curso com o marido, Euclides da Silva (43), é uma grande satisfação frequentá-lo. ”Precisamos exercitar o corpo e a mente. Meu marido tem excesso de peso e está com ótimo condicionamento. Agora, não tem essa de dizer que ‘gordo não dança’. E a dança melhora até a alma. Todos os músculos são movimentados e a aula passa rápido, pois é um momento de grande alegria”, ressaltou.

Programação Especial da Secretaria de Cultura

 Museu do Homem do Norte (Centro Cultural dos Povos da Amazônia)

Cine Pipoca especial, quinta-feira (29), em comemoração ao Dia do Idoso, com a exibição do filme brasileiro, estrelado pela grande atriz Fernanda Torres, ”Central do Brasil“, às 10h, classificação livre, entrada franca e distribuição de pipoca com refrigerante.

 Centro de Convivência do Idoso

Um “Aulão de Dança” bem animado vai reunir, nesta sexta-feira(30), público de todas as idades para comemorar o Dia do Idoso, em grande estilo, na praça central do centro, no horário das 19h às 20h.

E uma variedade de manifestações artísticas serão apresentadas na sexta-feira, 7 de outubro, a partir de 9h, no cine-teatro Comandante Ventura. A programação começa com a peça teatral “Não me maltrate, me ame!”, da professora Erismar Fernandez. Na sequência, tem apresentação de Coral de 35 alunos do professor Paulo Afonso de Oliveira, cantando clássicos como “Andanças”, de Tom Jobim e “Canto Della Terra”, de Victorio de Giorgio e, para encerrar, os alunos de dança dos professores Reginaldo Estrela e Maria Dalva Silva, apresentarão “Dançando pra valer”, “As Frenéticas”, dentre outros.

 Centro de Convivência da Família Magdalena Arce Daou

Comemoração especial, sexta-feira (30), a partir das 9h30 apresentação dos alunos de violão do professor Roberto Bopp; das 16h às 17h, apresentação de dança livre, jazz e balé, das professoras Cinara Dias e Valdeane Santos e, às 19h, apresentação de Dança de Salão do professor Giovanni Vieira.

 “Conquistamos um público muito especial para nós: os idosos. Aos poucos, eles vão descobrindo as artes e vendo que é possível colocar seus sonhos em prática, se envolver no lúdico e se deixar levar pelo fascinante mundo da cultura. Isso traz alegria, saúde e vitalidade”, concluiu o secretário de Estado de Cultura, Robério Braga.

 Dia do Idoso

No Brasil, celebra-se o Dia do Idoso no primeiro dia do mês de outubro. Até 2006, a data era comemorada no dia 27 de setembro, porque, em 1999, a Comissão pela Educação, do Senado Federal havia instituído tal data para a reflexão sobre a situação do idoso na sociedade, ou seja, a realidade do idoso em questões ligadas à saúde, convívio familiar, abandono, sexualidade, aposentadoria e etc.

Seja o primeiro a comentar on "Cultura: elemento de transformação da vida dos idosos em Manaus"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*