Governo de Minas Gerais desenvolve projeto para instalação de veículos elétricos

Governador recebe João Vasconcelos Secretário de Estado da Indústria de Portugal. Local: Palacio da Liberdade Foto: Veronica Manevy/Imprensa MG

Parceria com Portugal para a instalação de sistema inteligente torna Estado referência mundial em baixa emissão de carbono

Belo Horizonte (MG) – O governador Fernando Pimentel assinou, no Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte, despacho que define como prioridade de governo a implementação do projeto “Sistema de Mobilidade de Baixo Carbono” em Minas Gerais. Ele consiste na implementação, na Cidade Administrativa (Camg), de “demonstrativo de mobilidade inteligente de baixo carbono”, que disponibilizará veículos elétricos que circularão entre o Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins e os prédios públicos da Cemig, Codemig, Fapemig, Palácio da Liberdade e BDMG, por exemplo, na região central de Belo Horizonte.

A iniciativa é um desdobramento de duas visitas feitas, em 2015 e 2016, pelo governador a Portugal, quando foram assinados protocolos de cooperação entre o Estado e o Centro de Excelência e Inovação na Indústria de Mobilidade (CEiiA) na área da mobilidade elétrica inteligente.

O governador visitou o CEiiA, na região de Porto, quando conheceu os projetos Mobi.me, sistema de gestão e monitoramento de frotas de veículos em tempo real, o protótipo de carro elétrico e o de desenvolvimento de um drone de vistoria de redes elétricas.

Pimentel destacou a importância da parceria entre Minas Gerais e Portugal, dizendo que apostar na inovação e na criação e manutenção de programas como este é a saída para enfrentar crises econômicas.

“Portugal atravessou uma crise muito séria, mas soube manter programas como este. No Brasil, vivemos um momento muito difícil. Os estados enfrentam dificuldades muito sérias, mas nós não podemos comprometer nossos programas”, ressaltou Fernando Pimentel. “Estamos em meio a uma revolução tecnológica, a uma mudança na organização produtiva. É o caso do fenômeno das startups, que estão cada vez menores, migrando da lógica de encadeamento sucessivo para uma ideia de rede, mais horizontalizada. E isso é muito bom para a economia. Em caso de crise, por exemplo, ela se dilui. Temos que apostar nisso”

Fernando Pimentel

O secretário de Estado da Indústria de Portugal, João Vasconcelos, participou da reunião e disse que o Governo de Minas Gerais mostrou interesse em transformar Belo Horizonte em uma capital do conhecimento, da inovação e da tecnologia.

“Temos vários projetos que estamos concretizando, como este ligado à mobilidade elétrica, mas também é importante lançarmos sementes para outros projetos ligados ao empreendedorismo, à tecnologia e ao digital, que está mudando a nossa vida e de nossas empresas. Belo Horizonte pode ser a capital brasileira da mobilidade elétrica e do futuro da mobilidade. O que Portugal está fazendo é disponibilizar todo o conhecimento que desenvolveu nessa matéria a Belo Horizonte, para que a cidade alcance este objetivo”, afirmou Vasconcelos.

O intercâmbio de conhecimento entre Minas Gerais e o país europeu deve gerar novos frutos no futuro, como destacou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Miguel Corrêa.

“É uma troca de experiências dos projetos de Portugal e dos nossos. Estamos iniciando um novo protocolo de parcerias com Portugal, também na área da educação, universidades e startups. Estamos em construção de novos programas”, contou.

O sistema

A implantação do “Sistema de Mobilidade de Baixo Carbono” é resultado de Termo de Cooperação Técnica e Financeira, assinado em dezembro de 2015, entre BDMG, Cemig, Fapemig e Codemig para viabilizar o projeto. A implementação do sistema deve ocorrer em 12 meses, com investimento de R$ 3,3 milhões, divididos igualmente entre os quatros signatários do termo de cooperação.

A Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep) se juntou ao projeto em julho de 2016, por meio do primeiro termo aditivo, com a atribuição de gerir os recursos.

Estão previstos ônibus internos na Cidade Administrativa, que farão a ligação com a Estação Vilarinho, e a instalação de monitores, de totens nos prédios e a de corredores de mobilidade de baixo carbono na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

O sistema vai permitir ainda que um centro de operações visualize as rotas dos ônibus elétricos, veículos, bicicletas e monitore a emissão de gases de efeito estufa pelos veículos, por meio do sistema Mobi.me. Outra vantagem é a integração dos usuários por meio de caronas, via aplicativo.

Os servidores farão as reservas dos veículos, de acordo com a necessidade de uso, e a tecnologia apontará quais carros poderão ser compartilhados por mais de uma pessoa.

“Estamos plantando uma semente do que é o futuro da cidade inteligente, uma BH inteligente. O primeiro passo é construir esse sistema de mobilidade para a área do setor público para, em um segundo momento, difundir para toda a população”, disse o presidente da Cemig, Mauro Borges.

Com a iniciativa, o Governo de Minas Gerais pretende posicionar o Estado como referência internacional na concepção e no desenvolvimento de tecnologias associadas ao baixo carbono, incentivar novos posicionamentos da indústria mineira e estabelecer políticas públicas nessa área.

Também participaram do ato os presidentes da Codemig, Marco Antônio Castello Branco, do BDMG, Marco Aurélio Crocco, e da Fapemig, Evaldo Ferreira Vilela, além da cônsul de Portugal em Belo Horizonte, Joana Caliço, e o presidente da Comissão Executiva da CEiiA, José Rui Felizardo.

Seja o primeiro a comentar on "Governo de Minas Gerais desenvolve projeto para instalação de veículos elétricos"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*