Artigo | Ruas e casas barulhentas, riscos à audição

Por Isabela Carvalho


As pessoas parecem estar a cada dia mais habituadas ao barulho das metrópoles e nem percebem o quanto isso pode afetar a saúde de seus ouvidos. Resultado: a perda auditiva está chegando mais cedo e já afeta indivíduos adultos e mesmo jovens, principalmente aqueles que não desgrudam do fone de ouvido para ouvir música e falar ao celular.

Em certos bairros – onde o nível máximo de ruído permitido é de 55 decibéis no  período diurno e de 50 decibéis à noite –, medições mostram alarmantes 90 decibéis. Nessa intensidade, após quatro horas diárias de exposição ao ruído, podemos ter nossa acuidade auditiva afetada. Quem mora em grandes cidades percebe o quanto incomoda o barulho do trânsito, das buzinas, das sirenes e das britadeiras. Para se ter uma ideia, uma conversa normal entre duas pessoas varia de 45 a 55 decibéis. Já o barulho de uma de uma britadeira chega a 100 decibéis.

O pior é que, dentro de casa, o som alto, muitas vezes, é prática corriqueira, que também pode afetar a capacidade de ouvir, ao longo do tempo. O nível de barulho em nossas casas tem grande impacto. Em muitas residências, o volume da TV, do aparelho de som, do rádio ligado na cozinha são altíssimos, sem falar do barulho proveniente do liquidificador, do aspirador de pó, do secador de cabelos. Quando se utiliza uma furadeira, o ruído atinge 81 decibéis. E o pior é que, se forem ligados ao mesmo tempo, o barulho se torna insuportável.  É importante informar que o nível de ruído do aspirador de pó varia de 70 a 85 decibéis; do liquidificador, de 85 a 93 decibéis e, no caso do secador de cabelo, o ruído pode chegar a 90 decibéis.

Por tudo isso, atenção! A exposição contínua a ruídos superiores a 50 decibéis pode causar perda progressiva da audição. Os primeiros sintomas são em geral dificuldade de ouvir conversar, TV, toque do celular, dentre outros. Infelizmente é comum que a pessoa só procure tratamento quando o caso já está mais grave. Qualquer dano à audição vai se somando ao longo do tempo e os efeitos podem não ser logo sentidos. A exposição frequente ao barulho pode levar, com o tempo, à perda permanente e irreversível da audição.

Se já há suspeitas de problemas para ouvir, o melhor é procurar um otorrinolaringologista, que vai diagnosticar a causa da perda auditiva. Muitas vezes o uso do aparelho auditivo é o tratamento indicado. Cabe então ao fonoaudiólogo a escolha do melhor aparelho, para cada caso específico, e as orientações ao paciente. Atualmente existem diversos modelos de soluções auditivas atrativas, discretas, modelos intraauriculares e retro auriculares com tecnologia ultra moderna e, adequados a diferentes graus de perda auditivas. O uso diário da prótese auditiva é essencial para que o indivíduo resgate os sons da vida, a autoestima e a alegria de viver.


(*) Isabela Carvalho é fonoaudióloga da Telex Soluções Auditivas, especialista em audiologia.


Seja o primeiro a comentar on "Artigo | Ruas e casas barulhentas, riscos à audição"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*