Rio Grande do Sul e Vêneto buscam alavancar os arranjos produtivos

Na terceira e última etapa da missão governamental à Europa, Sartori disse que a ligação entre entre o Rio Grande do Sul e o governo do Vêneto deve ser pautada pela colaboração - Foto: Luiz Chaves/Palácio Piratini

Na terceira e última etapa da agenda da missão governamental à Europa, o governador José Ivo Sartori disse em Veneza, na sede do governo do Vêneto, nesta sexta-feira (21), que a ligação entre entre o Rio Grande do Sul e o governo do Vêneto deve ser pautada pela cooperação, para alavancar os arranjos produtivos locais e impulsionar as economias das comunidades.

“Temos muito a avançar nessa exitosa relação, a começar pelas questões da inovação do estabelecimento dos arranjos produtivos, que têm na experiência italiana uma referência. Seu fortalecimento representa mais mercados, mais oportunidades mais crescimento”, disse o governador, lembrando que 80% das empresas da região têm até 15 funcionários. Lembrou ainda o legado deixado pelos imigrantes italianos no Rio Grande do Sul, como a fé, a dedicação ao trabalho e a cultura.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Fábio Branco, o estado tem centros de pesquisa e polos tecnológicos e está de braços abertos para receber novos empreendimentos. Branco destacou as potencialidades do Rio Grande do Sul, como o setor metalmecânico, a produção de máquinas e implementos e o potencial do setor agropecuário.

Representantes do Polo de Moda, ligado à Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI), participaram do encontro. O grupo esteve conhecendo as experiências para organização do setor em locais como a Escola Politécnica de Milão, o Instituto Europeu de Design e o Sistema Moda Itália. Também foi tratada a aproximação com representantes do setor de malhas para a troca de tecnologias.

O ministro da Agricultura do Vêneto, Giuseppe Pan, destacou que o setor primário gaúcho e do Vêneto podem trocar experiências em áreas como avitivinicultura e da agroindústria. A Câmara de Comércio da Itália se colocou à disposição de representantes do setor produtivo para a realização de negócios.

Participaram da agenda, o secretário-geral de Governo, Carlos Búrigo; a presidente do Badesul, Susana Kakuta; o presidente da Fiergs, Heitor Müller; o presidente da Fecoagro, Paulo Pires; e dirigentes empresariais.

RS e Itália

O Rio Grande do Sul tem uma estreita relação com a Itália. Levando em conta os desafios atuais da sociedade gaúcha, a experiência italiana em dinamismo econômico, associado ao dinamismo cultural, é uma importante referência. A organização dos arranjos produtivos locais e a articulação em cadeias de valor regionais fazem com que pequenos e médios empreendedores estejam fortemente posicionados na economia globalizada. Além disso, as experiências nos setores da economia criativa podem também resultar no fortalecimento de laços com o Rio Grande do Sul.

A Itália também adquiriu excelência empresarial e técnico-científica em setores estratégicos para o Rio Grande do Sul, como metalmecânico, automotivo, agroindustrial e de energias. Também podem ser prospectadas oportunidades nos segmentos aeroespacial e de defesa, área com uma exitosa experiência de intercâmbio tecnológico entre Brasil e Itália, com o Projeto AMX, da Embraer.

Seja o primeiro a comentar on "Rio Grande do Sul e Vêneto buscam alavancar os arranjos produtivos"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*