Verdades e Mitos sobre a inclusão de gorduras na alimentação infantil

Foto: Divulgação

Muitas vezes relacionamos as gorduras ou lipídios à uma má alimentação. De fato, o nutriente pode estar ligado a quadros de obesidade e a doenças cardiovasculares, no entanto, é importante esclarecer todas as funções que o nutriente exerce em nosso corpo, especialmente durante os primeiros 1000 dias dos pequenos. O DHA, por exemplo, já é conhecido por muitas mamães, e esse nutriente é uma gordura e também o principal responsável pelo desenvolvimento do cérebro e, consequentemente, das funções cognitivas das crianças. Além disso, a gordura também está ligada à uma melhor absorção de todos os nutrientes que ingerimos e ao bom funcionamento do nosso sistema imune. Confira abaixo os principais mitos e verdades sobre a gordura.

Os primeiros 1000 dias

Os primeiros 1000 dias compreendem toda a gestação, além do primeiro e segundo anos de vida da criança. É nesse período que o corpo humano mais se desenvolve e recebe os primeiros estímulos do meio-ambiente. Apesar de nascermos com um DNA predeterminado, pesquisas¹ mostram a crescente importância que a epigenética apresenta para a saúde a longo prazo. Isso significa que, mesmo após o nascimento, com os estímulos corretos, é possível modificar os genes e melhorar a saúde do indivíduo por toda a sua vida e também das próximas gerações. Além da epigenética, também há outros fatores que devem ser considerados para melhorar a saúde a longo prazo, como o cuidado com a alimentação da criança, que deve incluir diferentes tipos de gordura em sua composição.

Seja o primeiro a comentar on "Verdades e Mitos sobre a inclusão de gorduras na alimentação infantil"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*