Projeto Verão – como a medicina esportiva pode ajudar a manter a boa forma e melhorar a saúde

Foto:Divulgação

No final do ano o movimento nos consultórios de médicos esportistas aumenta 50%, é a corrida contra o tempo para se livrar dos indesejáveis pneuzinhos, perder peso e ganhar músculos

Com a chegada da época mais quente do ano, homens e mulheres investem na malhação para ficarem em forma e fazerem bonito na piscina ou na praia. “Em outubro, novembro e dezembro, cresce em média 50% a ida de pessoas aos consultórios visando perder gordura localizada, ganhar massa muscular e emagrecer”, conta Dra. Karina Hatano, médica do exercício e do esporte.

A especialista alerta, porém, que não existe mágica. Para alcançar os objetivos é necessário seguir um programa de treinos associado obviamente a ajustes na alimentação. Detalhe, o ideal é que se perca, no máximo, 4 kg ao mês, não mais do que isso. “O foco sempre será a saúde e, em segundo plano, como consequência, a estética. A perda não pode ultrapassar os 800 gramas por semana”, enfatiza.  E completa: “Fazer exercícios sem orientação ou exagerar na dose pode levar à lesão muscular, entorses, arritmia e a pior fatalidade: a morte súbita”.

No consultório, a primeiro passo consiste em investigar a história pessoal de saúde do paciente, com perguntas sobre a família e predisposição à eventuais doenças. Em seguida são realizados exames clínicos e laboratoriais incluindo o de sangue e do coração (tanto em repouso como de esforço) e avaliações de equilíbrio e flexibilidade. “São procedimentos necessários para saber se a prática esportiva pode provocar eventuais problemas e determinar os tipos de atividades adequadas”, comenta a médica.

Em seguida é elaborado um plano alimentar para a perda de peso, com o respectivo monitoramento.

Caso a pessoa esteja com sobrepeso é possível chegar no corpo ideal em 3 meses. Acima disso, nos casos de obesidade ou obesidade mórbida, serão necessários 6 meses, pelo menos. Porém, já nos primeiros 90 dias o paciente conseguirá resultados importantes como a redução da pressão arterial e do ritmo cardíaco e diminuição do colesterol, além de melhorar o humor e aumentar o bem-estar.

Resumindo, o Plano Verão é sempre importante e vai ajudar a pessoa a atingir o peso ideal.  Mas, lembre-se, antes de sair correndo e fazer exercícios tome nota das dicas da Dra. Karina, também responsável pela avaliação pré-participação esportiva dos jogadores profissionais de futebol do campeonato paulista:

  • Procure primeiramente atendimento médico, de um especialista, que irá prescrever a alimentação e o programa de exercícios adequado e acompanhar a evolução;
  • Sempre se hidrate, tome de 2 a 3 litros de água por dia;
  • Meia hora antes do treino coma carboidrato e proteína, por exemplo, sanduíche com peito de peru ou fruta com iogurte;
  • Fuja das dietas milagrosas e nunca faça atividade física em jejum;
  • Cuidado com os excessos, ao invés de ajudar os exercícios muito extenuantes podem provocar lesões, entorses ou até levar ao óbito.

Depois de seguidas as orientações e consultado um especialista, tenha um bom treino.

Sobre a Dra. Karina Hatano

Karina Hatano é médica do exercício e do esporte, mestre em Medicina Esportiva pela Universidade Federal de São Paulo, onde também realizou a Residência Médica em Medicina do Esporte, além de acumular especialização em fisiologia do exercício e nutrologia. Preceptora da Medicina Esportiva da Universidade Federal de São Paulo e professora da Liga de medicina esportiva da UNIFESP, também é responsável pela saúde de atletas de alta performance de diversas modalidades esportivas,como da seleção brasileira de natação e das confederações brasileiras de baseball e softball.

Seja o primeiro a comentar on "Projeto Verão – como a medicina esportiva pode ajudar a manter a boa forma e melhorar a saúde"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*