Catadores que ocupavam área pública são assistidos pelo GDF em parceria com a Arquidiocese

Parte dos núcleos familiares que ocupavam a área está abrigada no Movimento Eureka, da Arquidiocese de Brasília, na 906 Norte. Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília

Trinta e seis famílias estão próximas de receber apartamentos no Paranoá Parque, enquanto 35 recebem auxílio-aluguel. Parte está abrigada no Movimento Eureka, no 906 Norte

Após a desocupação pacífica de área pública no Setor Noroeste no fim de outubro, o governo de Brasília trabalha para resolver a situação dos catadores de resíduos sólidos que ocupavam o local. Das 77 famílias que estavam na região, 36 devem receber apartamentos no Paranoá Parque nas próximas semanas. Elas aguardam a conclusão do processo na Caixa Econômica Federal para obter as chaves. Outras sete estão sendo avaliadas pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab) para participar dos programas habitacionais.

Das famílias que não preencheram os requisitos da Codhab, algumas retornaram ao estado de origem e outras estão recebendo o auxílio-aluguel, no valor de R$ 600. No total, 35 têm direito ao benefício, de no máximo 12 parcelas. O governo também estuda uma parceria com o Serviço de Limpeza Urbana para que os catadores tenham um local de trabalho para fazer a triagem do material recolhido nas ruas.

Parte dos núcleos familiares que ocupavam a área está abrigada no Movimento Eureka, da Arquidiocese de Brasília, na 906 Norte. O governador Rodrigo Rollemberg esteve no local neste sábado (19) e participou de uma missa celebrada pelo bispo auxiliar de Brasília dom Leonardo Steiner.

O trabalho conjunto entre governo e Arquidiocese permitiu que a comunidade não ficasse desassistida após a retomada da área, classificada como de Relevante Interesse Social e que pertence à Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap).

Esse acompanhamento foi destacado pelo governador, acompanhado da secretária da Segurança Pública e da Paz Social, Márcia de Alencar. “A todo momento, temos que tomar decisões difíceis e precisamos de muita inspiração divina. Que a gente nunca se esqueça que governar é estar em comunhão com o povo”, afirmou Rollemberg.

A comunidade está provisoriamente abrigada em 10 tendas da Defesa Civil, enquanto os processos estão em andamento. A desocupação ocorreu em 31 de outubro e foi intermediada pela Arquidiocese de Brasília, que já desenvolvia trabalho de catequização com a comunidade.

Seja o primeiro a comentar on "Catadores que ocupavam área pública são assistidos pelo GDF em parceria com a Arquidiocese"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*