Projeto com o objetivo de despertar interesse de jovens por políticas de melhorias das cidades no Brasil tem nova edição

Imagem: Divulgação

Programa de formação de líderes é promovido pelo Colab.re, plataforma de gestão pública colaborativa que acaba de lançar campanha na internet para financiar segunda turma do Transformadores

São Paulo, novembro de 2016 – O Colab.re, plataforma de gestão pública colaborativa presente em 130 municípios brasileiros, acaba de abrir inscrições para a Turma 2 do Programa Transformadores Colab e lança uma campanha na internet com o objetivo de mobilizar as pessoas para a arrecadação de R$ 49.482 a fim de financiar de forma colaborativa o projeto, que ocorrerá em fevereiro do próximo ano. Criada para fomentar a formação de líderes para o País, a iniciativa reuniu em sua primeira edição, realizada em maio deste ano, 31 jovens de 16 estados brasileiros – dentre 650 candidatos inscritos – que passaram três dias em São Paulo com o propósito de criar projetos colaborativos para melhoria de suas cidades. A primeira edição do projeto foi registrada em filme que deu origem a um documentário, intitulado Transformadores, que pode ser assistido na internet (clique aqui).
Como foi a primeira edição do Projeto Transformadores
No primeiro dia da jornada, os jovens conheceram articulações de coletivos e iniciativas da sociedade civil que buscam ocupar a periferia e o centro de São Paulo, tornando-os lugares mais democráticos, inclusivos e pacíficos. Na Praça Rooosevelt, os Transformadores identificaram que a presença de artistas e skatistas foi a solução para a diminuição de conflitos no local. A expedição também contemplou o Projeto Ouvidor 63, prédio ocioso na região da Sé ocupado por artistas que promovem cursos, palestras, cafés literários e saraus poéticos sobre cultura independente. Já no Recifran, na Liberdade, é apresentado o conceito de cooperação que propiciou oportunidades a moradores de rua e catadores de materiais recicláveis de se qualificar profissionalmente em coleta seletiva, a fim de reaproveitar resíduos produzidos na cidade.
“Percebi que há uma quantidade enorme de pessoas que estão envolvidas neste processo de construção coletiva. Elas conseguem fazer as coisas muito melhor que os governos. Então, quanto mais mobilizadas essas pessoas forem, mais coisas acontecem”, opina a participante do projeto Brenda Alves, 25 anos, residente de Belo Horizonte.
Os Transformadores também vivenciaram o dia a dia da formulação de políticas públicas que trazem impacto para aquela realidade que eles conheceram antes. “A gente está num desconforto muito grande em nosso atual cenário político e eu me encaixo nisso. Foi muito importante ver que uma prefeitura está aberta para tecnologia, para ouvir o cidadão”, expõe Cinthia Menezes, 25 anos, de Goiânia, referindo-se à gestão participativa implantada em Campinas, no interior paulista, onde o Colab.re e o serviço 156 são utilizados como canais de relacionamento que legitimam a tomada de decisões do poder público. Na Secretaria de Direitos Humanos de São Paulo, os Transformadores conheceram ações que buscam promover a cidadania de populações vulneráveis, como a comunidade LGBT e os índios, que contam com a participação das secretarias de Educação e do Esporte.
No terceiro e último dia, os jovens participaram de uma etapa de Construção Coletiva. Através de um jogo mediado pela equipe do X-Lab, foram convidados a estruturar e propôr novos negócios sociais – que posteriormente foram debatidos com todo o grupo, o time de X-perts e a equipe do Colab. Um dos projetos criados neste dia, o Vivencidade, segue estruturando ações para debater educação cidadã em espaços públicos e escolas. Outros jovens seguiram com projetos que já engatinhavam à época da imersão. O Molho Especial – núcleo de gameficação que busca debater os direitos das mulheres e os espaços que elas ocupam na política brasileira – acaba de ser lançado sob o olhar da transformadora Júlia Carvalho, que já era, então parte da equipe do Fast Food da Política.
Para além da estruturação desses projetos, o impacto do programa se refletiu sobre as carreiras de alguns jovens. A transformadora Cínthia Assis viveu um drástico reposicionamento de carreira após participar do programa: deixou sua posição em uma grande multinacional para se tornar trainee da Vetor Brasil e está agora alocada na Prefeitura de Campo Grande, atuando diretamente com a formulação de políticas públicas.
SOBRE COLAB.RE
O Colab.re é uma rede social que permite aos cidadãos fiscalizar, propor melhorias e avaliar a qualidade de serviços públicos. É o canal de relacionamento em tempo real oficial de 130 cidades brasileiras, como Recife (PE), Teresina (PI), Curitiba (PR), Niterói (RJ) e Santos (SP). Em 2015, a ferramenta foi eleita o Negócio de Maior Impacto Social do Mundo e a Startup de Maior Potencial Global pelo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) e um dos melhores aplicativos de governo do mundo pela ONU (Organização das Nações Unidas). O Colab.re tem mais de 150 mil usuários cadastrados em todo o Brasil e está disponível na web (www.colab.re) e em aplicativos Android e iOS.

Seja o primeiro a comentar on "Projeto com o objetivo de despertar interesse de jovens por políticas de melhorias das cidades no Brasil tem nova edição"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*