Maranhão continuará adotando medidas contra praga em lavouras de milho, soja e algodão

Divulgação


O Ministério da Agricultura renovou o estado de emergência fitossanitária relativo ao risco de surto da praga Helicoverpa armigera nas Mesorregiões Leste e Sul do Maranhão. O decreto foi publicado nessa quarta-feira (14) e tem vigência de um ano.
A lagarta tem grande poder de destruição e atinge, principalmente, as lavouras de milho, soja e algodão.

No Maranhão, a emergência fitossanitária vem sendo adotada desde de 2014. O controle é feito principalmente nas regiões de Balças, Chapadinha e Caxias. As áreas são as mais representativas na produção de grãos do estado.
A medida atendeu a demanda de produtores para garantir a autorização do uso de um inseticida que não tem registro no Brasil para a contenção da praga, o Benzoato de Emamectina. O diretor de Defesa e Inspeção Sanitária Vegetal da Agência Estadual de Defesa Agropecuária (Aged), Roberval Raposo Júnior, comentou a ação.

Mas, para ter acesso ao inseticida, o produtor precisa seguir normas de controle, como explica Raposo Júnior.
Para fazer a aplicação é necessário ter autorização da Aged. A agência também fiscaliza as propriedades que fazem uso do produto.

Seja o primeiro a comentar on "Maranhão continuará adotando medidas contra praga em lavouras de milho, soja e algodão"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*