Ministro da saúde visita Roraima para verificar impacto causado pelo fluxo

Ministro da Saúde Ricardo Barros (Foto: Divulgação)

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, estará em Boa Vista nesta terça-feira, 27, para averiguar os impactos causados no sistema de saúde Estado, em decorrência da chegada dos imigrantes venezuelanos.

Na agenda, consta ainda ida ao município de Pacaraima, fronteira com a Venezuela, para verificar in loco a situação do Hospital daquela localidade, bem como visitas ao HGR (Hospital Geral de Roraima), Hospital Materno Infantil Nossa Senhora de Nazareth, Hospital Infantil Santo Antônio e o Centro de Apoio ao Imigrante, em Boa Vista.

Segundo a governadora Suely Campos, a vinda do ministro só reforça o trabalho do governo estadual no que tange aos imigrantes. “Nós, enquanto governo, criamos o Centro de Referência ao Imigrante, por meio do Gabinete Integrado de Gestão Migratória em parceria com organizações não-governamentais e outras secretarias de governo”, disse, ao ressaltar que até hoje foram realizados 7.875 atendimentos aos venezuelanos, entre consultas médicas, odontológicas e alimentação.

A noite, no auditório do Conselho Regional de Medicina de Roraima, Barros vai proferir palestra voltada à nova gestão em saúde pública desenvolvida no Brasil. Para a secretária Nacional de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde, Gerlane Baccarin, a vinda do ministro ao Estado será um fator decisivo no tocante a situação da migração.

“Infelizmente, por conta dos problemas políticos e econômicos enfrentados na Venezuela, muitos venezuelanos estão cruzando a fronteira em direção a Roraima, na busca por melhores condições de vida. Porém o sistema de saúde não está conseguindo atender a demanda. Acredito que a visita do ministro será importante, pois conhecerá de perto a realidade que o Estado está passando e, consequentemente, apresentará soluções que sejam viáveis para que consigamos contornar essa situação”, destacou Gerlane.

Seja o primeiro a comentar on "Ministro da saúde visita Roraima para verificar impacto causado pelo fluxo"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*