Goiás será pioneiro na digitalização de documentos públicos

A partir do mês de março deste ano, em função de ações e da compreensão do governador Marconi Perillo, Goiás entrará definitivamente na Era Digital. Com a inauguração do Centro de Processamento contendo o maior Data Center modular da América Latina, o Governo do Estado será o primeiro no Brasil a garantir que toda a área finalística governamental seja digitalizada e permita a tramitação de documentos e processos com total segurança e suporte tecnológico.

A novidade é resultado da escolha feita pelo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, a pedido do governador, para que Goiás atue como Estado piloto na implantação do software desenvolvido pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Todos os TRFs-4 do Brasil já utilizam o software, que é colaborativo. Os testes em Goiás visam corrigir possíveis falhas e aprová-lo para o restante do País. No futuro, os estados brasileiros serão responsáveis por disseminá-lo aos municípios, promovendo a digitalização em todo o território nacional.

Já em fase de conclusão da implantação em Goiás, o maior Data Center modular da América Latina integra o Sistema Eletrônico de Informações (SEI), uma ferramenta que permite a virtualização de processos e documentos nos órgãos dos governos, contribuindo para a modernização da administração pública por meio do aprimoramento da gestão documental, além de facilitar o acesso à informação por parte de servidores e cidadãos, propiciando celeridade, segurança e economia.

De acordo com o superintendente Executivo da Secretaria de Gestão e Planejamento (Segplan), Bruno Perillo, o SEI estará implantado em Goiás a partir desta quarta-feira, dia 1º de fevereiro, permitindo que, a partir desta data, todos os processos públicos, de qualquer natureza, sejam autuados eletronicamente. Ele também ressalta que a digitalização será responsável por reduzir quantidade de papel, tornar mais ágil, econômica e sustentável a gestão do Estado. “Em pouco tempo, vai acabar a circulação de papel no governo. Tudo será em formato digital, como processos, ofícios, memorandos, portarias e vários outros documentos”, explica.

anigifdigitalização

Os procedimentos para a migração para o SEI serão feitos em três etapas, cada uma com seis meses de duração. Até 2018, a meta da Segplan, que coordena a área de Tecnologia da Informação dos órgãos estatais, é que o uso de papel para elaboração de documentos do Governo de Goiás seja praticamente eliminado. A expectativa é que toda a migração seja feita em até 18 meses, mas a Segplan trabalha com a possibilidade de encurtar o prazo.
Entre os benefícios da nova ferramenta estão a diminuição da burocracia, pois não será preciso aguardar documentos tramitarem de um setor a outro, já que os processos poderão ser analisados diretamente no sistema; o aumento da produtividade (com os processos eletrônicos implantados, será possível acessá-los em vários locais, assim, mais de uma área poderá trabalhar sobre o mesmo processo ao mesmo tempo, tornando a análise mais ágil); além da economia (o processo eletrônico permitirá a redução de gastos com materiais de escritório, contribuindo para a preservação do meio ambiente, com redução de uso do papel e energia elétrica de impressoras).

Na implantação e consolidação do Data Center, o Governo de Goiás investiu cerca de R$ 10 milhões provenientes do Tesouro Estadual (que englobam a garantia de manutenção por cinco anos).

Como a tecnologia funcionará

O SEI é cedido gratuitamente aos órgãos e instituições públicas, mediante assinatura de Acordo de Cooperação Técnica. O Governo de Goiás, por meio da Segplan, já acertou convênio com o Ministério do Planejamento para a transferência de tecnologia. Com isso, o sistema de Goiás será totalmente integrado com o da União. A previsão da Segplan é de, durante o feriado de Carnaval (de 24 a 28 de fevereiro), realizar a migração de todos os sistemas para o Data Center para que os impactos sejam reduzidos para a sociedade.

Ricardo Pereira Borges

Ricardo Pereira Borges

“O Data Center é uma ideia antiga. É um local que vai poder dar toda a base dos projetos de governo em infraestrutura. Ele abriga todos os computadores centrais e toda a estrutura necessária, como o Sistema Eletrônico de Informação, os serviços essenciais do governo, tais como a folha de pagamento, a Nota Fiscal Eletrônica, o Conecta SUS, entre outros. É o maior Data Center modular da América Latina”, explica o superintendente da Central de Tecnologia da Informação da Segplan, Ricardo Pereira Borges.

De acordo com Ricardo, a grande vantagem do Data Center é a segurança que ele proporciona. O superintendente informa que o Data Center é composto por dois geradores, um nobreak, responsável pela estabilização da energia, oito aparelhos de ar condicionados inteligentes, monitoramento avançado, além de toda uma estrutura nova com equipamentos de ponta para dar total segurança.

“É um Data Center compatível com o de multinacionais. Fizemos um trabalho muito forte de reformulação dos sistemas corporativos e dos portais do governo. Pegamos toda a parte dos portais do governo federal e trouxemos para cá. O site da Segplan já está funcionando com essa nova plataforma. A próxima missão é adaptar para o portal Goiás Agora. Todas as ferramentas necessárias contra ataques foram adquiridas para dar a segurança que o governo precisa. Todas as ações foram pautadas pelo Plano Diretor de Tecnologia”, garante Ricardo.

Além de permitir a redução de gastos públicos, a celeridade no encaminhamento de processos e a transparência total para a sociedade com a disponibilização total de processos pela internet, tudo em atendimento à Lei de Acesso à Informação (LAI), o Data Center possui elevada capacidade de processamento e armazenamento. “As pessoas interessadas não vão mais precisar solicitar os processos, pois eles estarão disponíveis no site do governo para quem quiser, em tempo real”, informa.

O superintendente Ricardo Pereira Borges explica que, na ação de uma compra, por exemplo, o processo poderá ser enviado ao mesmo tempo para todas as áreas responsáveis pela análise e validação do mesmo, sem que haja necessidade de encaminhamento individualizado e físico a cada pasta. A nova tramitação garantirá redução de tempo e desburocratização. “Hoje, a média de tempo gasto para que uma licitação seja realizada é de cerca de seis meses. A partir da inauguração do Data Center, o tempo será reduzido para 30 dias no total”, garante.


Seja o primeiro a comentar on "Goiás será pioneiro na digitalização de documentos públicos"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*