Produção agropecuária do Pará mantém liderança regional


Estimativas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para 2017 apontam que, na Região Norte, o Pará vai continuar firme na liderança do Valor Bruto de Produção (VBP), índice que avalia a soma de todos os bens e serviços produzidos em determinado território econômico, num dado período de tempo.

Em nove dos 26 produtos enumerados pelo documento, o Pará é o estado líder na região, mesmo naqueles em que pode apresentar alguma queda. Banana, feijão, laranja, mandioca, milho, pimenta-do-reino, tomate, bovinos e frangos são os produtos que garantem a boa fase da agropecuária paraense no norte do país.

Em todo o Brasil, o Valor Bruto da Produção esperado para este ano é de R$ 545,9 bilhões, superior ao do ano passado, que foi de R$ 530 bilhões. O aumento real, portanto, é de 2,9%. A estimativa, referente ao mês de janeiro, foi divulgada nesta segunda-feira, 13, pela Secretaria de Política Agrícola (SPA) do Mapa. Os detalhes do documento podem ser vistos aqui.

Os resultados regionais (veja aqui) mostram a recuperação de estados do Nordeste, que no ano passado tiveram fortes perdas devido às secas que afetaram principalmente áreas de Cerrado do Piauí e da Bahia. Neste ano, as previsões de colheita de soja, algodão, milho e feijão são boas nessas federações. As regiões Sul (R$ 154,2 bilhões) e Centro-Oeste (R$ 150,2 bilhões) lideram o faturamento esperado. Em seguida vem a região Sudeste, com R$ 143,4 bilhões, Nordeste, com R$ 52,4 bilhões, e Norte, R$ 32 bilhões.

Segundo o coordenador-geral de Estudos e Análises da SPA, José Garcia Gasques, o aumento previsto para a produção de milho, soja, arroz, algodão e feijão, “é a principal fonte desse crescimento da renda da agricultura em 2017”. Dos cinco produtos assinalados por Gasques, o Pará é o principal produtor na região de dois (milho e feijão) e segundo colocado regional em outros dois (arroz e soja).

Na produção de banana, o VBP esperado para o Pará é de R$ 1,225 bilhões, contra R$ 1,223 bilhões do ano passado. No feijão, a alta é ainda mais significativa: R$ 122 milhões, contra R$ 109 milhões em 2016. Na mandioca, a previsão é de R$ 2,567 milhões, contra R$ 2,483 milhões do ano anterior. Em outros produtos como pimenta-do-reino, tomate, laranja e bovinos, mesmo com queda na produção, o Pará continua liderando a produtividade na Região Norte.

Em pimenta-do-reino, a queda foi expressiva, passando de R$ 869 milhões em 2016 para uma estimativa de R$ 560 milhões em 2017. Mesmo assim, o Pará ainda é o líder brasileiro na produção. No caso da produção de bovinos, o estado continua como o sexto no ranking dos maiores produtores do Brasil.

Seja o primeiro a comentar on "Produção agropecuária do Pará mantém liderança regional"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*