Obras dos Centros de Inovação em ritmo acelerado

Os Centros de Inovação vão beneficiar Santa Catarina com a criação de negócios de alto valor agregado, fomentando o empreendedorismo, dinamizando a economia e as cadeias regionais e fortalecendo a atração de investimentos. “Investir em inovação é fundamental para que Santa Catarina se consolide como uma economia forte, ampliando a vantagem competitiva”, reforça o secretário da SDS, Carlos Chiodini. A primeira unidade finalizada foi o Centro de Inovação Luiz Henrique da Silveira, em Lages, inaugurado em junho do ano passado pelo governador Raimundo Colombo.

No fim de 2016, a SDS concluiu o projeto de mobiliário e equipamentos para os Centros, permitindo que sejam iniciadas tratativas para busca dos recursos necessários. O secretário Carlos Chiodini já apresentou o pleito ao ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC), Gilberto Kassab, durante visita a Santa Catarina em dezembro de 2016.

Em Brusque, o processo de licitação está em andamento, na fase final de divulgação. “Esta obra também conta com recursos garantidos, uma vez que parte deles é do MCTIC, e o restante, já foi confirmado e depositado pela SDS”, conta Chiodini.

Outros Centros de Inovação que estão sendo construídos no Estado passarão por um novo processo de licitação. “As construtoras licitadas responsáveis pelas obras em Joaçaba, São Bento do Sul e Tubarão optaram pela quebra de contrato. Agora, estamos em fase final de análise da documentação necessária para, nas próximas semanas, abrir uma nova chamada e finalizar as obras o mais breve possível”, conta o diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação (DCTI) da SDS, Jean Vogel.

Modelo conceitual

Tão importante quanto a estrutura física, é o modelo conceitual e de funcionamento dos prédios. Para isso, a SDS, por intermédio da DCTI, está em finalizando o projeto, que será entregue aos comitês de implantação e servirá como guia para ocupação dos Centros de Inovação. A Rede Catarinense de Inovação é responsável para que funcionamento das unidades seja de maneira integrada, levando oportunidades e acesso aos ativos de inovação do Estado.

De acordo com o diretor, Jean Vogel, o material é fruto de um extenso e profundo estudo, contemplando o detalhamento completo das funções, modelos jurídicos, editais, estratégias de ativação, ocupação e sustentabilidade dos prédios. “O projeto servirá como um guia para orientar os municípios e ecossistema local a operar os Centros, que são importantes ferramentas para promover o desenvolvimento de Santa Catarina”, salientou.


Seja o primeiro a comentar on "Obras dos Centros de Inovação em ritmo acelerado"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*