Startup brasileira consolida-se no mercado nacional e internacional de extração sustentável da alga Lithothamnium

Utilizados como fertilizante orgânico na agricultura e alimentação de todas as espécies animais, os produtos da Oceana apresentam benefícios  e aumento de rentabilidade para o produtor do campo

A Oceana Brasil, startup 100% brasileira, é uma das principais e mais bem estruturadas empresas de extração sustentável e beneficiamento da alga marinha Lithothamnium no mundo. Com atuação nos mercados interno e externo, seus produtos são exportados para diversos países da Europa, América Central, EUA e Ásia e sua produção anual é de 40 mil toneladas. A atividade industrial da Oceana é ecologicamente correta, não causa impacto ao meio ambiente e preserva as características únicas de sua jazida. A empresa emprega recursos de alta tecnologia e não utiliza nenhum composto químico em todo o ciclo produtivo, que é livre de qualquer contato humano.

Localizada na Plataforma Continental do Maranhão, na altura da cidade de Tutoia, a jazida de concessão da Oceana Brasil apresenta ambiente perfeito e único no mundo. Por situar-se em uma região de correntes marítimas e incidência solar excepcionais, as algas recebem maior luminosidade (maior fotossíntese), corrente marítima e salinidade. Essas características formam algas mais puras, reativas e com mais nutrientes. Com 11 mil metros quadrados de área, a capacidade de produção anual de Lithothamnium é de 150 mil toneladas, podendo ser expandida conforme a demanda do mercado.

Os produtos da Oceana trazem o selo Certificado Orgânico do IBD – Associação de Certificação Instituto Biodinâmico, o que garantem sua qualidade nos mercados interno e externos – Mercado Comum Europeu e USA. Possui ainda, todas as licenças ambientais e de operações do IBAMA, SEMA/Maranhão, ICM-BIO e BPF/MAPA. Todo processo produtivo da empresa está em conformidade com os princípios estabelecidos por órgãos reguladores nacionais e internacionais, como Anvisa brasileira, FDA estadunidense e EMA europeia, entre outros órgãos regionais e internacionais. Atualmente, o GMP Plus está sendo implementado. Auditorias Federais como MAPA e DNPM são constantes nas operações de extração e garantem a procedência dos produtos obtidos de maneira sustentável. Cada lote de produto extraído também é submetido a análises, em média uma vez por mês, para validar sua eficácia.

A Oceana, via parceiros estratégicos, mantém estreita colaboração com instituições de pesquisas na Europa, entre elas a Wageningen University e a Agro Research International, referências mundiais em pesquisa. No Brasil, a empresa trabalha com a Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (ESALQ), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a Universidade Federal de Goiás (UFG), entre outras, para certificação da eficácia de seus produtos.

Em 2016, a Oceana Brasil firmou acordo de cooperação e distribuição com a holandesa Jadis Additiva, uma das maiores empresas distribuidoras de ingredientes da Europa. “O objetivo dessa parceria é fortalecer as vendas em países daquela região e desenvolver novos produtos. A perspectiva é de que essa união resulte em negócios na ordem de cinco milhões de euros em três anos”, afirma Daniel Frasson, presidente da Oceana.

Para manter o equilíbrio ambiental da região da jazida e garantir a qualidade de seus produtos, a Oceana trabalha e investe em pesquisas e tecnologia de ponta e no controle e monitoramento da vida biológica. Extrai a alga já calcificada e sedimentada em uma plataforma continental separada da parte da jazida que contem algas vivas, mantendo assim, o equilíbrio ambiental.

A Oceana também atua junto à comunidade com os mesmos objetivos, investindo em programas de educação, treinamento, capacitação e benefícios socioambientais. Tem ainda como propósito contribuir para o desenvolvimento econômico sustentável de Tutoia e seu entorno, realizando ações para alcançar esse objetivo.


Seja o primeiro a comentar on "Startup brasileira consolida-se no mercado nacional e internacional de extração sustentável da alga Lithothamnium"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*