Sergipe é o segundo estado do Nordeste a ter crescimento nas exportações do agronegócio


A cultura mais forte é a de citrus, sendo Sergipe o 4º maior produtor do país de laranja. Ao todo, 14 municípios da região Centro-Sul sergipana compõem o polo produtivo

Sergipe desponta no Nordeste brasileiro como segundo estado a apresentar crescimento nas exportações do agronegócio. Segundo dados dos Ministérios da Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e da Agricultura e Pecuária (Mapa), o registro foi de 9,7%. A cultura mais forte é a de citrus, sendo Sergipe o 4º maior produtor do país de laranja. Ao todo, 14 municípios da região Centro-Sul sergipana compõem o polo produtivo.

De acordo com o secretário de Estado da Agricultura, Esmeraldo Leal, apesar da crise internacional do setor de citricultura, Sergipe continua batendo recorde de exportação. Além da laranja, o abacaxi também é uma fruta de destaque no setor. “Nesse sentido, Sergipe é destaque no país, principalmente no Nordeste. Um aspecto interessante de Sergipe, é que nossa produção é bem distribuída entre pequenos, médios e grandes produtores. Diferentemente de São Paulo que, por exemplo, a produção é concentrada na mão de poucas pessoas”, comentou.

De acordo com o secretário de Estado da Agricultura, Esmeraldo leal, apesar da crise internacional do setor de citricultura, Sergipe continua batendo recorde de exportação/ Foto: Marcelle Cristinne/ASN

Com relação a expectativa de produção da laranja em Sergipe para 2017, Esmeraldo acredita que haverá aumento. “Inclusive, já saiu a previsão para o Nordeste e deve haver aumento de 40% da produção, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)”. O secretário esclarece que a seca chegou a afetar a produção de laranja em 2016, mas para este ano a previsão é que haja mais chuvas regulares. “Se isso ocorrer, o aumento da produtividade deve ser maior que o do ano passado”, acrescentou Esmeraldo.

Destaque

A região Nordeste apresentou superávit de US$ 3,68 bilhões na balança comercial do agronegócio em 2016. As exportações registraram US$ 5,93 bilhões e as importações US$ 2,25 bilhões, segundo dados dos Ministérios. O superávit da balança do agronegócio brasileiro foi de US$ 84,9 milhões no ano. O setor representou 45,9% do total exportado pelo país em 2016.

O Nordeste contribuiu com 16,2% das importações e 6,9% das exportações do agronegócio no Brasil em 2016. O segmento contribuiu com 46,3% do total exportado e 12,6% das importações da Região, segundo o Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), órgão de pesquisas do Banco do Nordeste, na publicação Diário Econômico Etene.

Os produtos florestais, como a celulose, lideram a lista das exportações do agronegócio da Região (29,3% do total) no ano, seguidos do complexo soja (21,7%) e frutas (10,3%). Bahia e Maranhão são os Estados que mais exportam papel e celulose e também produtos do complexo soja. Bahia, Ceará, Pernambuco e Rio Grande do Norte são importantes exportadores de frutas na Região, com destaque para a manga, uva, melão, melancia e castanha de caju.

Os estados da Bahia, Maranhão e Ceará responderam por 80,0% das exportações do agronegócio do Nordeste em 2016. Em relação ao desempenho do ano anterior, os maiores crescimentos foram registrados no Rio Grande do Norte (+14,6%), Sergipe (+9,7%) e Paraíba (+9,5%).

Seja o primeiro a comentar on "Sergipe é o segundo estado do Nordeste a ter crescimento nas exportações do agronegócio"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*