Crise do GDF com polícia civil repercute na Câmara

A crise entre o governo do Distrito Federal e a polícia civil voltou a ser tema de vários pronunciamentos durante a sessão ordinária da Câmara Legislativa desta terça-feira (21). Vários deputados se manifestaram durante a sessão sobre o tema, acompanhada por um grupo de representantes da categoria que acompanhavam a sessão nas galerias do plenário.

O deputado Welington Luiz (PMDB), líder do Bloco Trabalho por Brasília, que reúne cinco distritais, e o deputado Cláudio Abrantes (Rede), líder do Bloco Sustentabilidade e Trabalho, que conta com 4 integrantes, afirmaram que continuam e obstrução e não votam nenhum projeto do governo até que a proposta de reajuste salarial dos policiais seja encaminhada ao governo federal.

O líder do governo, deputado Rodrigo Delmasso (Podemos), chegou a confirmar que o secretário da Casa Civil do GDF, Sérgio Sampaio, receberá os dirigentes do sindicato da polícia civil nesta quarta-feira (22), às 18h30, mas a obstrução foi mantida. A reunião foi anunciada pelo deputado Cláudio Abrantes. Delmasso disse que a polícia de Brasília merece ter a melhor remuneração do País e que a paridade com a polícia federal deve ser respeitada porque foi uma conquista da categoria. Ele acredita que a reunião de amanhã deverá resultar numa proposta concreta.

O líder do PT, deputado Ricardo Vale, criticou a lentidão do governo nas negociações com os policiais. Welington Luiz reclamou do cancelamento das últimas reuniões e do fato dos deputados terem sido “desconvidados” dos encontros. Segundo ele, a atitude é uma tentativa de humilhação dos deputados, “inclusive da base de governo”.

O deputado Agaciel Maia (PR) considerou que o GDF precisa resolver logo esta situação. Para ele, os policiais locais não podem ganhar menos do que os de outros estados, pois cuidam da segurança de todos os poderes da nação e do corpo diplomático. Ele sugeriu a construção de quadros comparativos dos salários com os de outros estados e também da evolução ao longo dos anos em relação ao Fundo Constitucional do DF.

Já o deputado Chico Vigilante (PT) lembrou de acordo firmado entre o ex-governador Agnelo e o ministério do Planejamento do governo Dilma, segundo o qual a proposta de reajuste da categoria seria encaminha juntamente com a dos policiais federais. O deputado cobrou o cumprimento do acordo pelo atual governo. “Quem casa com a viúva, herda os filhos”, comparou.


Seja o primeiro a comentar on "Crise do GDF com polícia civil repercute na Câmara"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*