Existe fast food saudável?


Por Patrícia Palandi

Posso começar respondendo à pergunta título sem sombra de dúvida: sim! É possível comer bem, de forma saudável, mas sem abrir mão da praticidade e da comodidade. O fast food já não é sinônimo do junkie food e é possível comer algo saboroso, saudável e prático, tudo ao mesmo tempo. O que não faltam são opções.

Justamente uma das precursoras desse modelo alimentício, no Brasil, foi a Let’s Wok. A rede de franquias de alimentação baseada no uso da panela Wok, firmou parcerias com nutricionistas e resolveu basear todo o seu cardápio em opções saudáveis, frescas e que pudessem aliar sabor com praticidade, sem abrir mão da saúde.

Nossa culinária evoluiu muito e com isso podemos sempre estar atentos ao que colocamos no prato. Como nutricionista, passei a analisar os benefícios dos ingredientes que fazem parte do cardápio do restaurante. Começando pela base:

Nos restaurantes da rede se escolhe uma base e se acrescenta a ela ingredientes para um cozimento da panela Wok. As bases podem ser de variados tipos de macarrão, inclusive sem glúten, que é composto de 11% de proteína, é rico em vitaminas do complexo B, e já comprovado cientificamente que pode e deve constar em refeições diárias. Outra opção é a do arroz integral com sete cereais, boa fonte de carboidrato, além de fibras que ajudam na digestão.

A lista de ingredientes para completar o prato é extensa, composta por vegetais, coguelos, carnes e até os considerados super alimentos (gérmen de trigo, chia, quinua real e linhaça dourada). Como ela é muito longa citarei aqui os mais utilizados, embora os valores nutricionais de todos sejam igualmente relevantes para a saúde:

Repolho é um ingrediente ótimo para regular os níveis de colesterol, pois é fonte de fibras, quando consumido funciona com os ácidos biliares no processo digestivo para remover o colesterol do sangue. Além disso, ele possui antocianinas, que têm propriedades anti-inflamatórias. Comer repolho em uma base regular pode reduzir a inflamação no corpo, o que ajuda a reduzir as condições crônicas, como artrite e doenças cardíacas.

Cenoura combate a prisão de ventre, também por ser rica em fibras, porém por ser rica em vitamina A e antioxidantes, ajuda a prevenir o envelhecimento precoce, além de conter poucas calorias. Acredita-se que ela ajude na prevenção de câncer de pulmão, devido aos antioxidantes, além de fazer bem para a visão, graças à vitamina A.

Couve tem sido muito usada em sucos detox, isso porque ela possui isotiocianatos de glucosinolatos, elementos encontrados nos processos de desintoxicação do organismo. Além disso ela possui muitos carotenoides e flavonoides, que protegem as células de radicais livres, que causam estresse.

Brócolis reduz a pressão arterial, por ser fonte de magnésio e cálcio, além de ajudar a relaxar os músculos do coração e artérias. Como é rico em vitamina C e antioxidantes, ajuda na prevenção do envelhecimento, prevenir os radicais livres e tem ação na prevenção e câncer de pele. Já o milhoaumenta a função imune do corpo e ajuda na proteção contra doenças cardíacas, além de ajudar a regular os açucares no sangue, sendo bom para diabéticos.

Tomate cereja ajuda na saúde óssea, por ter licopeno, que previne o estresse oxidativo dos ossos, e ter muito potássio. Além disso, são uma boa fonte do mineral cromo, que pode ajudar os diabéticos a regular os níveis de açúcar no sangue. Ele ainda é anti-inflamatório e pelo potássio, que é parco no organismo humano, ajuda a combater a hipertensão arterial, o que previne derrames e doenças cardíacas.

Quanto às carnes, há opções bovinas, de frango, de porco ou de camarão, e são importante fonte de proteína, que além de dar energia, é queimada rápida do organismo, sem reter calorias. Além disso, ainda se pode acrescentar fungos como shitake, shimeji e champingnon, que inibem a agregação de plaquetas, impedindo a formação de coágulos que bloqueiam a circulação sanguínea. Os cogumelos são ricos em vitaminas, fibras, minerais e proteína, quase tanto quanto a carne vermelha, uma boa opção para quem é vegetariano.

Pra finalizar os pratos são oferecidas opções variadas de molhos, como o shoyu, rico em proteínas, ferro, cálcio e vitaminas, principalmente as do complexo B, conhecidas como “vitaminas da disposição”, devido aos seus efeitos benéficos sobre o sistema nervoso e disposição mental.

Existem mais opções e as combinações só dependem da vontade de quem monta o prato, porém balancear os benefícios com a saúde pessoal de cada um é possível, sem abrir mão do sabor, sabendo que se consome alimentos frescos, sem conservantes, e que são comida de verdade, que não saturará o organismo de açúcares, colesterol, gorduras e sais excessivos.


Patrícia Palandi é nutricionista e escreve em colaboração com o Let’s Wok, o primeiro restaurante com um conceito de fast food saudável.

Seja o primeiro a comentar on "Existe fast food saudável?"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*