Evangelina Rosa incentiva a prevenção de infecções respiratórias em bebês prematuros

Médico pediatra e neonatologista, Marcos Bittencourt (Elis Pegado)

Especialmente aqueles que nascem antes de a gestação completar 29 semanas

Até o mês de julho, os estados do Nordeste passam por um período de maior circulação do vírus Sincicial Respiratório (VRS), principal responsável por infecções respiratórias e hospitalizações de crianças com menos de dois anos. Nessa faixa etária, há um grupo que possui um maior risco de desenvolver complicações pelo VRS, que são os bebês prematuros, especialmente aqueles que nascem antes de a gestação completar 29 semanas, (entrando no 7º mês de gravidez). São eles que estão mais suscetíveis a desenvolver bronquiolite e pneumonias por causa da imaturidade do sistema imunológico e respiratório.

Para prevenir, a Maternidade Dona Evangelina Rosa disponibiliza gratuitamente a aplicação do Palivizumabe, (um tipo de anticorpo pronto que induz a imunização passiva especifica contra o VSR), medicamento indicado para aumentar a proteção de bebês prematuros contra a infecção pelo Vírus Sincicial Respiratório (VRS). Mensalmente, em média, 53 pacientes recebem a aplicação do anticorpo.

O Palivizumabe é indicado para bebês prematuros de três grupos: crianças menores de um ano de idade que nasceram prematuras, com idade gestacional menor ou igual há 28 semanas; crianças menores de dois anos com doença pulmonar crônica da prematuridade; crianças menores de 2 anos com doença cardíaca congênita e com repercussão hemodinâmica demonstrada.

Segundo o médico pediatra e neonatologista, Marcos Bittencourt, o vírus Sincicial Respiratório é uma das principais causas de infecção das vias respiratórias e pulmões em recém nascidos e crianças pequenas. “Esse é um dos muitos vírus que pode causa bronquiolite, uma infecção dos brônquios pequenos e dos pulmões, a transmissão ocorre de uma criança infectada pelas secreções no nariz ou da boca por contato direto através das mãos sujas ou de gotículas”, esclarece.

O médico explica que o período maior de contagio ocorre nos primeiros dias da infecção, e o período de incubação dura de 2 a 8 dias. “Inicialmente a criança terá um corrimento nasal de cor clara como um sintoma gripal, tosse leve e em alguns casos febre, entre um a dois dias a tosse piora e a respiração torna-se mais rápida e difícil, muitas vezes comprometendo até as mamadas. Não há um tratamento eficaz e especifico para o VSR, existem algumas medidas de suporte como a hidratação, a limpeza das vias aéreas superiores e alguns medicamentos que são feitos para diminuir a febre e para fluidificar as vias aéreas superiores”, pontua. O médico diz ainda que os pais precisam estarem atentos as condições de agravamento.

Para solicitar o medicamento, o responsável pelo bebê deve comparecer à Evangelina Rosa portando documentos pessoais da criança e receituário médico com indicação do palivizumabe e formulário específico preenchido

 Quais são os critérios para receber o palivizumabe?

Crianças menores de 1 ano de idade, que nasceram prematuras com idade gestacional menor ou igual a 28 semanas.
Crianças menores de 2 anos de idade, com doença pulmonar crônica da prematuridade.
Crianças menores de 2 anos de idade, com doença cardíaca congênita.
Crianças menores de 1 ano de idade, que nasceram prematuras com idade gestacional entre 28 e 31 semanas e 6 dias, e com menos de 6 meses no início da sazonalidade (abril).


Seja o primeiro a comentar on "Evangelina Rosa incentiva a prevenção de infecções respiratórias em bebês prematuros"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*