Ministério assina contratos de outorga e MS caminha para liderar produção de pescado


O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, assinou com diretores das empresas GeneSeas e Tilabras os contratos de outorga de uso das águas dos lagos das usinas de Jupiá e Ilha Solteira, na divisa com São Paulo, para criação de tilápia em tanques-rede. A medida é capaz de redimensionar o setor de aquacultura e elevar Mato Grosso do Sul ao topo do ranking nacional da atividade. Só a Tilabras tem projeto para produzir 100 mil toneladas por ano de pescado, o que já supera toda a produção do Paraná – o líder atual.

O secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, representou o Governo do Estado no ato de assinatura dos contratos, nesta quinta-feira (8.6), em Brasília. Ele elogiou a maneira eficiente com que o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio da Secretaria Especial de Pesca, atuou para agilizar o processo de outorga que viabilizou a implantação desses dois mega projetos. “Representa o esforço do governo para diversificar nossa matriz econômica e incentivar o desenvolvimento”, frisou.

O presidente da Tilabras, Nicolas Landolt, agradeceu o apoio “fantástico” do Governo do Estado e prometeu retribuir com a geração de empregos. Serão mais de 3 mil postos de trabalho na totalidade do projeto, assegurou o empresário. Mato Grosso do Sul terá o maior frigorífico de tilápia do mundo, com investimento de R$ 150 milhões, em Silvíria.

A atuação do governo estadual em prol do projeto foi decisiva quando da visita do ministro Blairo Maggi a Campo Grande, no dia 3 de abril. O governador Reinaldo Azambuja e o secretário Jaime Verruck reforçaram a importância e a urgência da outorga do uso das águas dos reservatórios para viabilizar a criação de tilápias. O ministro prometeu pressa e cumpriu. A licitação foi concluída em maio.

Com as assinaturas dos contratos MS terá o maior frigorífico de tilápia do mundo, com investimento de R$ 150 milhões, em Silvíria. Foto: Divulgação

Juntas, GeneSeas e Tilabras vão pagar outorga de R$ 2,14 milhões pelo direito de uso dos lagos por 20 anos. Em contrapartida poderão instalar 554 hectares de tanques-rede, ambiente suficiente para produzir até 120 mil toneladas ao ano de tilápia. Segundo o Anuário Brasileiro de Piscicultura elaborado pela Associação Brasileira de Piscicultura, em 2016 Mato Grosso do Sul figurava na nona posição com 24.150 toneladas/ano de pescado. Pode saltar para a primeira posição já no próximo ano.

A GeneSeas já tem 213 tanques-redes com 1.000 toneladas de peixes nas diferentes fases do cultivo. Chegou a projetar o processamento de até 35 toneladas/dia de filé na unidade de Aparecida do Taboado, logo que anunciou a ampliação do frigorífico, em abril de 2016. Após um ano, com a crescente demanda, a meta foi superada. O frigorífico já processa 45 mil toneladas por dia, e o jeito foi “importar” pescado de São Paulo para suprir a demanda.
No ato de assinatura dos contratos, em Brasília, estavam presentes ainda os senadores por Mato Grosso do Sul Valdemir Moka e Simone Tebet, os deputados federais Geraldo Resende e Luiz Henrique Mandetta, o prefeito de Selvíria, Fernando dos Santos, entre outras autoridades e empresários.

Seja o primeiro a comentar on "Ministério assina contratos de outorga e MS caminha para liderar produção de pescado"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*