Assinado financiamento para a primeira agroindústria de chocolate artesanal de Rondônia

O sonho é antigo, mas está prestes a se tornar realidade. O financiamento para implantação de uma indústria de chocolate sustentável em Rondônia, no valor de mais de R$ 1 milhão, foi assinado durante a 6ª Rondônia Rural Show, e já na primeira fase deverá gerar dez empregos diretos na região.

Quando decidiu investir na sustentabilidade, por meio de práticas agroecológicas em sua propriedade, a Fazendinha, localizada entre os municípios de Ji-Paraná e Ouro Preto do Oeste, Antônio Deusemínio de Almeida já sabia que esse seria o caminho para a realização de seus sonhos.

Por meio do projeto Rondônia Mais Verde, ele deu início à recuperação de áreas em processo de degradação com técnicas de manejo, como adubação verde na forma de coquetel de leguminosas.

O Projeto Rondônia Mais Verde foi uma ação realizada em parceria entre o governo do Estado de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondônia (Emater-RO), numa parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac) e Cooperativa Coopervida, para recuperação de áreas degradadas em sistemas de pastagens mal manejados, utilizando-se de práticas agroecológicas.

De lá para cá, foram muitos investimentos, principalmente em ações de sustentabilidade com estímulo à diversificação da propriedade com plantio de árvores, inclusive cacau, e recuperação de matas ciliares. A propriedade, que já contava com um restaurante regionalizado, virou ponto de turismo, considerada referência no setor de turismo rural local e uma das principais propriedades de manejo sustentável de Rondônia.

Hoje, Deusemínio, servidor da Ceplac por cerca de 30 anos; a esposa Jacinta Almeida e os sócios Gustavo Sartor e Welinton Magela, decidiram dar um passo mais audacioso: trazer para Rondônia a primeira agroindústria de chocolate artesanal. Segundo Desemínio, a indústria iniciará suas atividades já empregando dez pessoas, somente na industrialização da matéria-prima. “Nossa indústria, além de gerar emprego local, impulsionará a lavoura de cacau com geração indireta de empregos na região.

Produção de cacau com sustentabilidade

O empresário e produtor explicou ainda que utilizará reaproveitamento de água, energia solar e resíduos orgânicos, fortalecendo a proposta de sustentabilidade. “Além de nossa produção, pretendemos adquirir matéria-prima de outros produtores da região”, disse, complementando que conta com o apoio do governo estadual e Ceplac para investimento na melhoria da qualidade de cacau produzido em Rondônia.

Para tornar o sonho realidade, os sócios contrataram um financiamento da ordem de R$ 1.412.104,76. O contrato foi assinado durante a 6ª Rondônia Rural Show, onde os visitantes tiveram a oportunidade de degustar o chocolate produzido em Rondônia.


Seja o primeiro a comentar on "Assinado financiamento para a primeira agroindústria de chocolate artesanal de Rondônia"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*