Campanha busca reduzir índice de violência no trânsito

A partir do dia 1º de julho, a campanha amplia sua atuação pelas estradas e municípios paraenses, principalmente Salinópolis, Bragança, Barcarena, Abaetetuba, Curuçá e Marapanim, além das ilhas de Mosqueiro (foto) e Outeiro. FOTO: CRISTINO MARTINS / ARQUIVO AG. PARÁ DATA: 23.06.2017 MOSQUEIRO - PARÁ

Quando se fala em trânsito, logo vem à mente veículos, avenidas e estradas. Mas o termo tem um sentido bem mais amplo e envolve também pedestres, condutores de carros de passeio, ônibus, caminhões, bicicletas, motocicletas, motonetas e sinalização, entre outros. É justamente essa ideia que o Governo do Pará e o Departamento de Trânsito do Estado (Detran), numa parceria com a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob) e a Prefeitura de Belém, quer trabalhar durante a campanha de trânsito lançada nesta sexta-feira, dia 23 de junho, na Escola de Governo, com o mote “Todos pela Vida. Faça sua Parte”.

O ponto central é justamente chamar a atenção para que cada um desses entes possa entender e fazer a sua parte no trânsito para diminuir o número de acidentes. Informações do Detran apontam 19.536 acidentes de trânsito ocorridos no Estado em 2016, com 1.427 mortos. A causa mais frequente tem sido a colisão por falta de atenção e, entre os condutores de motos, o atropelamento. Até junho de 2017, já foram computados 3.209 acidentes no estado, com 220 mortes.

Em todo o país, os números mostram que as mortes no trânsito tornaram-se praticamente uma epidemia. Foram 47 mil em 2015, colocando o Brasil no quinto lugar entre os países recordistas nesse quesito, precedido apenas da Índia, China, EUA e Rússia e seguido por Irã, México, Indonésia, África do Sul e Egito. Juntas, essas dez nações são responsáveis por 62% das mortes por acidente no trânsito.

Custos

A campanha promovida este ano pelo Governo do Estado e Detran segue orientação mundial e nacional de educar condutores e pedestres para mudanças no comportamento.

Para isso, a principal “arma” usada será a informação, por meio do uso de peças publicitárias divulgadas nos diversos meios de comunicação, e também ações de rua para conscientizar e incentivar as boas práticas no trânsito, combatendo comportamentos que causam acidentes, muitos deles fatais, além de atrapalhar a mobilidade urbana na capital e nos municípios.

“O trânsito no Brasil já é um caso de saúde pública”, afirmou Halpher Luiggi, diretor executivo do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (Dnit), no Fórum de Segurança de Trânsito, realizado no ano passado. Ainda de acordo com o executivo do Dnit, os prejuízos com acidentes nas estradas e vias públicas em 2014 somaram cerca de R$ 15 bilhões para o país.

No Pará, dados da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) apontam que, além das perdas com as mortes, o Estado ainda precisa arcar com uma outra situação: o alto custo dos tratamentos para recuperar as vítimas de acidentes de trânsito. “O quantitativo de pessoas com sequelas que precisam ser tratadas pelo resto da vida é enorme e gera um grande custo financeiro do ponto de vista da saúde, assim como um impacto social”, explicou o médico e assessor especial da Sespa, Hélio Franco. Segundo o médico, o Estado gasta com esse tipo de tratamento cerca de R$ 200 milhões por ano.

Campanha

Com o mote “Todos Pela Vida. Faça Sua Parte”, esta é a quarta campanha institucional promovida este ano pelo Governo do Estado, que já tratou de combate à violência contra a mulher, incentivo à leitura e respeito à diversidade, envolvendo de forma direta e indireta toda a estrutura do Estado de maneira integrada. Nesta edição, a campanha é coordenada pelo Departamento de Trânsito do Estado (Detran-PA), com o apoio das Secretarias de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) e de Comunicação e da Semob.

Os meses de junho e julho foram reservados para o tema da segurança no trânsito, coincidindo com o início da temporada do veraneio amazônico e com o aumento das viagens rumo aos balneários. O objetivo da campanha é, principalmente, envolver a sociedade na discussão sobre as tragédias diárias dos acidentes de trânsito e, assim, tentar reduzir a incidência e o número de vítimas.

Em Belém, as ações da campanha começaram já neste dia 23, com a simulação de acidentes de trânsito em 10 pontos estratégicos da cidade, que são: cruzamento da Visconde de Souza Franco com a Boaventura da Silva; Santuário de Fátima; Av. Almirante Barroso com Júlio César; Av. Duque de Caxias; Av. Padre Eutíquio com a Alcindo Cacela; Mercado de São Braz; Largo do Redondo; Pedro Álvares Cabral (próximo ao viaduto Daniel Berg) e Av. João Paulo com a Perimetral e Praça do Relógio.

Cada um deles recebeu uma placa informativa sobre acidentes que já ocorreram na cidade e um selo com o mote da campanha. A ideia é fazer com que as pessoas passem, olhem e reflitam que os acidentes podem ocorrer em todo lugar, a qualquer momento, com qualquer pessoa e costumam afetar o fluxo normal do trânsito nas cidades.

Agentes de trânsito e equipes de educação do Detran vão estar nesses pontos orientando e distribuindo panfletos sobre as cinco situações que mais costumam causar acidentes de trânsito que são: falta de atenção; desrespeito à preferencial; manobra irregular; não manter distância regulamentar e embriaguês. A ação vai receber o apoio da Semob que estará com agentes de trânsito e apoiadores nos pontos da campanha.

Verão 

A partir do dia 1º de julho, a campanha amplia sua atuação pelas estradas e municípios paraenses, principalmente Salinópolis, Bragança, Barcarena, Abaetetuba, Curuçá e Marapanim, além das ilhas de Mosqueiro e Outeiro. Com o mote “Não perca o melhor do verão: a sua vida”, além de peças publicitárias para os diversos meios de comunicação, focadas principalmente no uso irregular do celular e de bebidas alcoólicas, também haverá curso profissionalizante gratuito em Salinópolis para mototaxistas, com carga horária de 30 horas e prova prática no final, abrangendo temas como legislação, ética, segurança, humanização e saúde. Os candidatos devem ter no mínimo dois anos de carteira da categoria A e mais de 21 anos.

Números

Tabela 1. Estatística de Acidente Por Tipo.

TIPO 2016 2017
Belém Pará Belém Pará
Abalroamento 536 959 114 214
Atropelamento 560 1.944 84 391
Capotamento 15 475 2 79
Choque objeto fixo 268 933 32 214
Colisão bicicleta 498 1205 86 277
Colisão veículo 6.598 17.301 1.732 4.315
Outros 9 119 2 63
Queda de motocicleta 299 4.873 30 767
Queda de ônibus 151 220 34 45
Tombamento 21 331 10 84
TOTAL 8.955 28.360 2.126 6.449

Fonte: CNP/DTI//DETRAN-PA

Obs.: Dados informados de 2016 até 03/2017

Obs2.: Dados sujeitos a atualizações

Tabela 2. Estatística de Feridos Pela Faixa-Etária.

Faixa Etária (Ferido) Pará Belém
2016 2017 2016 2017
Não Informado 17.064 3.510 3.601 202
1 até 10 284 66 42 84
11 até 20 449 76 72 144
21 até 30 187 74 41 82
31 até 40 140 40 28 56
41 até 50 84 10 29 58
51 até 60 66 18 21 42
Acima de 60 115 24 45 90
TOTAL DE FERIDOS 18.389 3.818 3.879 758

Fonte: CNP/DTI//DETRAN-PA

Obs.: Dados informados de 2016 até 03/2017

Obs2.: Dados sujeitos a atualizações

Tabela 3. Estatística de Mortos Pela Faixa-Etária.

Faixa Etária (Morto) Pará Belém
2016 2017 2016 2017
Não Informado 930 199 41 7
1 até 10 20 6 2 1
11 até 20 94 10 3 1
21 até 30 131 35 12 3
31 até 40 99 20 16 3
41 até 50 63 28 15 1
51 até 60 54 10 7 1
Acima de 60 49 12 6 3
TOTAL DE MORTOS 1.440 320 102 20

Fonte: CNP/DTI//DETRAN-PA


Seja o primeiro a comentar on "Campanha busca reduzir índice de violência no trânsito"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*