Lei Seca completa cinco anos e comemora aumento de 30% no número de abordagens

Operação Lei Seca em Alagoas ao longo desses cinco anos vem conseguindo cumprir o seu papel que é provocar uma mudança de comportamento na sociedade - Sscom

Ação faz parte do Detran/AL e visa promover também a mudança no comportamento social

 

Com a importante missão de salvar vidas, diminuir estatísticas preocupantes e alertar a população sobre todos os riscos da combinação de álcool e direção, a operação Lei Seca é uma Política Pública permanente do Governo do Estado de Alagoas que nesta quarta-feira (28)  completa cinco anos de atividade.

A ação, que faz parte do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e que visa promover também a mudança no comportamento social, conquistou muitos avanços, principalmente referente ao número de abordagens, que aumentou 30% após sua implantação. Houve também uma redução de 22% no número de acidentes de trânsito, além da diminuição de 48% no número de óbitos registrados no Hospital Geral do Estado (HGE).

De acordo com dados fornecidos pela coordenação da Lei Seca, de janeiro a maio deste ano foram realizadas 151 operações no Estado, 86 flagrantes foram efetuados, 11.853 veículos foram abordados e 12.882 pessoas foram submetidas ao teste do bafômetro.

“O Detran/AL vem fazendo uma campanha de reeducação progressiva e esses avanços são significativos para todos nós. É como a situação do uso do cinto de segurança que na década de 1980 era inconcebível e hoje todos usam. Daqui a 15, 20 anos, vamos olhar para trás e ter a mesma atitude com as bebidas. Será inadmissível beber e dirigir”, disse o coordenador da Operação Lei Seca, tenente Emanuel Costa.

Interiorização

Levar para outras cidades e municípios o mesmo padrão de fiscalização e abordagem foi uma determinação do governador Renan Filho, devido aos resultados positivos alcançados nas ações em Maceió e regiões litorâneas.

Desde 2015, a Lei Seca passou a ser descentralizada percorrendo lugares como: Boca da Mata, Delmiro Gouveia, Piranhas, Santana do Ipanema, Anadia, Teotônio Vilela, Palmeira dos Índios, Arapiraca, Maribondo, São Miguel dos Campos, Campo Alegre, Maragogi, São Luís do Quitunde, São Miguel dos Milagres, Coruripe, Penedo, entre outros.

Dedicação

Com o aumento do efetivo, atualmente a operação é formada por uma equipe de 46 integrantes entre policiais militares e servidores do Detran/AL, que executam o trabalho diário com garra e determinação não só com o propósito de punir os condutores imprudentes, mas também de educar e conscientizar o infrator que está pondo em risco a sua própria vida e a de terceiros.

 

Lotada na equipe há três anos e meio, a servidora do Detran/AL Fátima Buarque ressalta a importância e o prazer de fazer parte da fiscalização mesmo tendo que se ausentar do convívio familiar, durante boa parte dos finais de semana e feriados para salvar outras vidas.

 

“Quando saímos de casa, não sabemos o que vai acontecer. E cada vez que paramos um condutor embriagado temos a sensação de evitar que o pior aconteça e não só punir. O meu trabalho começa dentro de casa, conscientizando os meus filhos de que nós não somos contra quem ingere a bebida alcoólica, e sim de quem bebe e vai dirigir, aumentando o risco de acidentes no trânsito”, enfatiza a servidora.

Referência

O funcionamento eficaz de fiscalização que vem ocorrendo em Alagoas tornou a Lei Seca referência para outros estados do país. A aquisição de novos equipamentos e viaturas no último ano também contribuiu no reforço da segurança que é prioritária para o bem-estar da população alagoana.

O Detran Alagoas vem promovendo campanhas educativas intensificando a realização de palestras em universidades com o objetivo de esclarecer dúvidas, além de executar também a ação “Amigo da Vez”, que já percorreu diversos bares da capital e do interior, fazendo os condutores refletirem sobre as consequências ao cometerem irresponsabilidades no trânsito.

Mudança de comportamento

A decisão de nunca dirigir depois de beber vai além do dever dos bons cidadãos. É uma atitude de amor à vida. O alagoano Saul Lacerda, 30 anos, conta que já foi abordado mais de uma vez na Lei Seca e salienta a importância da blitz.

“Sou totalmente a favor da fiscalização, pois, realmente as pessoas não têm noção do quanto é perigoso colocar a vida dos outros em risco quando bebem. Sempre sou o “amigo da vez” justamente por isso, é uma questão de consciência. Já perdi uma pessoa próxima em acidente de trânsito, e só quem sente a dor de uma tragédia sabe como é lamentável essa ausência”.

Com a atualização do valor da multa e outras penalidades, quem for flagrado sob efeito de álcool é enquadrado no artigo 165 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB): comete infração gravíssima, com penalidade de multa (R$ 2.934,70) e suspensão do direito de dirigir por 12 meses. O veículo ainda fica retido até a apresentação de outro condutor habilitado e em condições de dirigir. Em caso de reincidência em menos de 12 meses, o valor da multa é dobrado.

A operação Lei Seca ao longo desses cinco anos vem conseguindo cumprir o seu papel que é provocar uma mudança de comportamento na sociedade, com isso, ocorre não só a diminuição dos motoristas flagrados na blitz sob efeito de álcool, como também na diminuição de mortes no trânsito ocasionadas pela embriaguez ao volante.

Seja o primeiro a comentar on "Lei Seca completa cinco anos e comemora aumento de 30% no número de abordagens"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*