Novos etilômetros reforçam fiscalização de motoristas embriagados

Detran-DF comprou mais 88 etilômetros que aferem a concentração de álcool no organismo. Foto: Andre Borges/Agência Brasília

Detran-DF comprou mais 88 equipamentos que aferem a concentração de álcool no organismo

A fiscalização do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) para coibir motoristas que dirigem depois de consumir bebida alcoólica foi reforçada com a compra de mais 88 etilômetros — equipamentos usados para aferir a concentração de álcool no organismo.

Com a aquisição dos popularmente conhecidos bafômetros, o Detran passa a ter 136 equipamentos mais modernos para as operações da Lei Seca.

De janeiro a junho deste ano, o órgão autuou 13.102 condutores alcoolizados, média de 72 por dia. Desse total, 874 foram presos por apresentarem índice considerado crime: igual ou superior a 0,3 miligrama de álcool por litro de ar alveolar, conforme o Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

No fim de semana — de sexta-feira (21) a domingo (23) —, o Detran e a Polícia Militar autuaram 102 motoristas por dirigirem após ingerir bebida alcoólica. Desses, dois foram presos por apresentar quantidade de álcool no sangue considerada crime.

72
Média diária de motoristas autuados de janeiro a junho de 2017 por dirigirem alcoolizados

Nessas operações, flagraram-se ainda 19 motoristas com a carteira nacional de habilitação (CNH) vencida há mais de 30 dias, nove inabilitados e dois com a carteira suspensa. Os agentes removeram 145 veículos ao depósito.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Dirigir sob efeito de álcool acima do limite é infração gravíssima

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, a pena para quem apresenta resultado igual ou superior a 0,3 miligrama de álcool por litro de ar alveolar no teste do bafômetro é detenção de seis meses a três anos, multa e suspensão da CNH ou proibição de tirá-la.

R$ 2.934,70
Valor da multa para quem apresenta no teste do bafômetro índice alcoólico considerado crime

Além de ter de pagar multa de R$ 2.934,70 pela infração gravíssima, o infrator é suspenso do direito de dirigir por um ano.

Caso haja reincidência no período de até 12 meses, o valor dobra: R$ 5.869,40. Recusar-se a fazer o teste do etilômetro também é considerada infração com as mesmas penalidades.

Seja o primeiro a comentar on "Novos etilômetros reforçam fiscalização de motoristas embriagados"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*