Furacão Irma deixa pelo menos 8 mortos na parte francesa de San Martín

Passagem do furacão Irma pela província holandesa de Philipsburg, na ilha de San Martín. Hoje o furacão deve chegar à República Dominicana EFE/Gerben Van Es/Min. Defesa Holanda

Pelo menos oito pessoas morreram e cerca de 20 ficaram feridas na parte francesa da ilha de San Martín, no Caribe, por causa do furacão Irma, de acordo com informações do tenente-coronel Vincent Boichard, um dos responsáveis da proteção civil, em declarações feitas hoje (7) ao canal BFMTV.

A ministra francesa de Ultramar, Annick Girardin, que chegou na madrugada à ilha de Guadalupe com mais de 100 membros de equipes de salvamento, não quis se pronunciar sobre o número de vítimas, segundo a agência EFE. Em um primeiro contato com a imprensa, limitou-se a reconhecer que “temos danos extremadamente importantes” tanto em San Martín como em São Bartolomeu.

Annick disse que nas próximas horas está previsto um voo com um avião militar de Guadalupe até San Martín, para fazer um reconhecimento. O objetivo é lançar um transporte aéreo para organizar os trabalhos de resgate e de abastecimento, que também serão feitos por barco.

“Todos os edifícios de San Martín foram afetados”, incluindo hospital, quartel dos bombeiros e a prefeitura, que foi “destruída”, disse. “O governo está totalmente mobilizado”, assegurou a titular de Ultramar. Na parte francesa de San Martín vivem aproximadamente 35 mil pessoas.

Barbuda

Ao passar pela ilha de Barbuda, o furacão deixou pelo menos uma morte e provocou a destruição de inúmeras residências e danos a infraestrutura, informou nesta quarta-feira (6) o primeiro-ministro de Antígua e Barbuda, Gaston Browne.

O premiê visitou ontem uma das duas ilhas que dão nome ao pequeno país caribenho para avaliar de perto os danos causados pelo fenômeno climático. Browne disse à rede de televisão local ABS que o Irma danificou severamente grande parte das residências de Barbuda.

Edição: 

Seja o primeiro a comentar on "Furacão Irma deixa pelo menos 8 mortos na parte francesa de San Martín"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*