Prospera ainda tem R$ 3,9 milhões para serem liberados em 2017

Pedidos devem ser feitos até 10 de novembro. O designer de moda Ivson Samabourque abriu um ateliê com recursos do programa de microcrédito

Com a meta de investir R$ 11 milhões em 2017, o Prospera, programa de microcrédito produtivo do governo de Brasília, ainda pode liberar neste ano R$ 3,9 milhões para investimento nas áreas urbana e rural.

De acordo com levantamento da Secretaria Adjunta do Trabalho, da pasta do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, os R$ 7 milhões já entregues em 2017 estão distribuídos em 625 contratos. Os pedidos para 2017 devem ser feitos até 10 de novembro.

Das operações contratadas, a maior parte está concentrada na agricultura, com um montante de R$ 2,7 milhões, que representa 161 contratos. Em seguida está o comércio, com 279 operações e R$ 2,6 milhões. O setor de serviços aparece na terceira colocação, com R$ 976 mil para 108 contratos.

Indústria, pecuária e artesanato ocupam as últimas colocações e somam mais de R$ 706 mil em cartas de crédito efetivadas.

O montante de R$ 7 milhões liberados neste ano permitiu, segundo a secretaria, que 1.202 empregos fossem mantidos e outros 150, criados.

O designer de moda Ivson Samabourque, de 28 anos, utilizou créditos do Prospera por duas vezes. Com a primeira carta de crédito comprou equipamentos, e com a segunda fez investimentos em marketing, na criação de um site, em viagens de pesquisa para a próxima coleção e em compra de matéria-prima.

O designer de moda Ivson Samabourque, de 28 anos, utilizou o Prospera duas vezes. Com a primeira carta de crédito, comprou equipamentos; com a segunda, fez investimentos em marketing, na criação de um site, em viagens de pesquisa para a próxima coleção e em compra de matéria-prima. Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília

 

“Os juros são baixíssimos, e isso é muito atraente. Até então, eu tinha pesquisado em bancos, mas os juros são muito altos e não valiam a pena”Ivson Samabourque, designer de moda

Entre as 625 efetivações em 2017 está a segunda carta de crédito do designer de moda Ivson Samabourque, de 28 anos. A primeira, obtida há cerca de dois anos, serviu para a compra de três máquinas de costura, uma mesa de corte e um ferro de passar industrial — o que permitiu que Ivson abrisse o próprio ateliê.

Já a segunda carta de crédito, recebida no primeiro semestre deste ano, é voltada para investimentos em marketing, na criação de um site, em viagens de pesquisa para a próxima coleção e em compra de matéria-prima.

“Os juros são baixíssimos, e isso é muito atraente. Até então, eu tinha pesquisado em bancos, mas os juros são muito altos e não valiam a pena”, disse Ivson, que descobriu o Prospera por meio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

No campo, as taxas de juros são de 2% ao ano para custeio e de 3% para investimento. Na cidade, o índice é de 0,75% ao mês para capital de giro e 0,70% para investimento.

Quem pode solicitar o Prospera

Na área rural, o Prospera pode ser solicitado por produtores rurais familiares e cooperativas de trabalho e produção.

Na área urbana, os requisitos são: recém-formados (até 3 anos), empreendedores informais e empreendedores formais (microempreendedor individual, microempresa, empresa de pequeno porte, cooperativas de trabalho e produção e artesãos).

O dinheiro pode ser usado para capital de giro, custeio e investimento, e os recursos saem do Fundo de Geração de Emprego e Renda do DF.

Como solicitar o Prospera

Todas as agências do trabalhador podem auxiliar com informações, mas os pedidos de crédito do Prospera são feitos nas unidades do Plano Piloto (Setor Comercial Sul, Quadra 6, Lotes 10 e 11) e de Taguatinga (Avenida das Palmeiras, Quadra C4, Lote 3), de segunda a sexta-feira, das 8 às 18 horas.

No caso da área rural, os interessados devem procurar um dos postos da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (Emater-DF), que também abrem de segunda a sexta. O horário é diferente: das 8 horas ao meio-dia e das 13 às 17 horas.

Além da Emater-DF, o programa de microcrédito produtivo orientado da Secretaria do Trabalho conta com o apoio do Banco de Brasília (BRB).

Duas cartilhas (uma para o público urbano e outra para o rural) auxiliam com mais informações sobre o benefício.

Caso deseje, o interessado pode recorrer a uma das unidades para consultar antecipadamente a documentação necessária para dar entrada no pedido de crédito, que pode ser feito até 10 de novembro.

Para a área urbana

Nas Agências do Trabalhador do Plano Piloto (SCS, Quadra 6, Lotes 10 e 11) e de Taguatinga (Avenida das Palmeiras, Quadra C4, Lote 3)

De segunda a sexta-feira

Das 8 às 18 horas

 

Para a área rural

Nas unidades da Emater-DF

De segunda a sexta-feira

Das 8 horas ao meio-dia e das 13 às 17 horas


Seja o primeiro a comentar on "Prospera ainda tem R$ 3,9 milhões para serem liberados em 2017"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*