Colonoscopia é uma das formas mais eficazes de detectar e evitar o câncer colorretal

Procedimento permite a detecção e remoção de lesões que podem dar origem à doença

O câncer colorretal é considerado um problema de saúde mundial por ser o terceiro tipo de tumor mais diagnosticado e a quarta principal causa de morte por câncer. No Brasil, segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca), serão diagnosticados mais de 33 mil casos da doença somente em 2018.

O cenário só não é mais alarmante porque o diagnóstico precoce tem um impacto significativo na redução da mortalidade por esse tipo de tumor. Estudos indicam que, se descoberto precocemente e tratado adequadamente, o câncer colorretal pode ser curado.

Dentre os métodos mais utilizados para detectar o problema precocemente, a colonoscopia se destaca por ser um procedimento que permite o diagnóstico e uma intervenção preventiva. “Além do câncer, também é possível detectar lesões precursoras do câncer e no mesmo ato removê-las, reduzindo assim a chance de o indivíduo ter a doença. Essa é a grande vantagem desse procedimento”, explica Fauze Maluf Filho, médico especialista em Endoscopia Digestiva e chefe de equipe do Serviço de Endoscopia da BP Medicina Diagnóstica.

A colonoscopia consiste em um sistema de fibras óticas dotado de uma microcâmera que é inserida pelo reto e percorre toda a extensão do colón (intestino grosso), produzindo imagens em alta definição por meio das quais o especialista identifica os tumores e lesões. Para ser submetido a esse procedimento, o cliente tem de fazer um preparo específico (limpeza do colón) e também tem de ser sedado e monitorado por um anestesiologista durante todo o procedimento.

Um dos diferenciais do Serviço de Endoscopia da BP Medicina Diagnóstica é justamente oferecer para os clientes que necessitam realizar esse exame as instalações necessárias para que o preparo seja feito no local, sob supervisão de profissionais de Enfermagem, e não em casa. “Esse diferencial que a BP Medicina Diagnóstica oferece para o cliente contribui muito para a correta realização do exame, uma vez que o preparo feito corretamente é determinante para a qualidade do diagnóstico” explica o especialista.

O médico ressalta também que detecção precoce por meio da colonoscopia é uma ação de rastreamento de câncer colorretal e deve ser repetida periodicamente a partir dos 50 anos de idade. Quando o exame não revela tumores ou lesões precursoras, o ideal é fazê-lo a cada cinco anos. Nos casos em que são encontradas lesões, esse intervalo diminui para cada três anos.

Contraindicação

Nem todas as pessoas estão aptas a usufruir dos benefícios da colonoscopia. O procedimento é contraindicado para pessoas que possuem problemas intestinais como diverticulite aguda, obstruções e também quadro de saúde geral comprometido por outras doenças.

Outros métodos de detecção de câncer colorretal

O especialista Fauze Maluf Filho lembra que a detecção do câncer colorretal também pode ser feita por outro método não invasivo. A pesquisa imunológica de sangue oculto nas fezes também é uma estratégia válida para diagnosticar a doença. Trata-se de um exame laboratorial com preparo e dieta específicos, no qual é investigada a presença de vestígios de sangue (resultado de lesões na parede do intestino) nas fezes. A população com 50 anos ou mais, qualificada como grupo de risco intermediário, deve realizar o exame anualmente e, se o resultado for positivo, é necessário realizar a colonoscopia.

Seja o primeiro a comentar on "Colonoscopia é uma das formas mais eficazes de detectar e evitar o câncer colorretal"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*