Depen quer transferir agressor de Bolsonaro para Campo Grande

Agressor confesso do candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL), Adélio Bispo de Oliveira, chegou à sede da Justiça Federal, em Juiz de Fora, sob um forte esquema de segurança. - Tânia Rêgo/Agência Brasil

O processo, no entanto, ainda depende da PF e da Justiça Federal

Por Marcelo Brandão

O Departamento Penitenciário Federal (Depen) informou, em nota, que pretende transferir Adélio Bispo de Oliveira para a penitenciária federal de Campo Grande (MS). O processo, no entanto, ainda depende da Polícia Federal e da Justiça Federal. Segundo o departamento, vinculado ao Ministério da Segurança Pública, a questão está em fase de “tratativas”.

A proposta de transferir o agressor do candidato à presidência Jair Bolsonaro para Campo Grande foi submetida ao juiz federal corregedor da penitenciária.

Na audiência de custódia, ocorrida nesta sexta-feira (7) em Juiz de Fora, a juíza responsável pelo caso manteve o indiciamento de Adélio pelo Artigo 20 da Lei de Segurança Nacional, que dispõe sobre “praticar atentado pessoal ou atos de terrorismo, por inconformismo político”, que prevê pena de prisão de 3 a 10 anos, podendo ser dobrada, se o fato resultar em lesão corporal grave, ou triplicada, se resultar em morte.

Ataque

Na tarde de quinta (6), o candidato recebeu uma facada no abdômen durante um ato que reuniu apoiadores em Juiz de Fora (MG). Bolsonaro teve o intestino delgado costurado e parte do intestino grosso retirada. Ele também foi submetido a uma colostomia e, em até dois meses, terá de ser operado novamente.

Seja o primeiro a comentar on "Depen quer transferir agressor de Bolsonaro para Campo Grande"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*