Distrito Federal realiza a primeira cirurgia do diabetes tipo II no Brasil e transmitida ao vivo

O Hospital Regional da Asa Norte (HRAN) realiza na próxima terça-feira (25) cirurgia inédita do diabetes no Brasil. O procedimento será comandado pelo médico e cirurgião Renato Teixeira, coordenador do Serviço de Cirurgia do Diabetes do Distrito Federal. A cirurgia será transmitida ao vivo, a partir das 10 horas, para os convidados no auditório do HRAN.

O DF se iguala a grandes serviços e universidades internacionais com a criação desse serviço e no Brasil é pioneiro ao realizar a primeira cirurgia desse tipo, fora de forma experimental, no SUS.

“O objetivo da criação desse serviço de cirurgia do diabetes é oferecer uma opção segura e efetiva para o paciente com diabetes tipo 2, não obeso grave, antes que ele venha a morrer ou ter sequelas na inefetividade do tratamento clínico”, afirma Dr Renato Teixeira.

Por ser um procedimento inédito, a cirurgia será acompanhada pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, do governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB) e do secretário de Saúde do Distrito Federal Osnei Okumoto.

O diabetes é uma doença caracterizada pelo aumento dos níveis de glicose no sangue, sendo a primeira ou segunda causa de morte não traumática no mundo.

Existem o tipo 1 e o tipo 2 dessa doença. No tipo 1 a pessoa já nasce com a doença devido a alterações no pâncreas. No tipo 2 a pessoa adquire a doença devido, geralmente, a predisposição e associação a obesidade.

A prevalência de obesidade no Brasil é de 10%, afetando cerca de 450 mil pessoas no Distrito Federal e Entorno e atingindo cada vez mais as crianças.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) decretou estado de epidemia dessa doença, devido ao grande aumento do número de casos diagnosticados por ano, sendo projetado um aumento de cerca de 70% em 15 anos se nada for feito.

O diabetes tipo 2, ao contrário do que muitos pensam, tem uma mortalidade e sequelas maior do que o tipo 1.

Números no Brasil:

  • A cada 1000 pessoas com diabetes tipo ii, 27 morrem por ano devido a infarto do miocárdio;
  • Metade das pessoas com diabetes tipo 2 vão desenvolver doença renal grave;
  • 80% das pessoas em hemodiálise tem diabetes;
  • Um paciente a cada dez terá comprometimento grave da visão;
  • É a principal causa de cegueira;
  • A amputação é vinte vezes mais comum em pacientes com diabetes; O SUS gasta cerca de 1 bilhão de reais somente com três medicamentos, sendo eles a Metformina, Glibenclamida e Insulinas.

Seja o primeiro a comentar on "Distrito Federal realiza a primeira cirurgia do diabetes tipo II no Brasil e transmitida ao vivo"

Faça um Comentário

Seu endereço de email não será mostrado.


*